30 de out de 2008

Pautas para sábado

Oi, pessoal

- Seguem as pautas sugeridas na última aula:

1) A Brás se constrói aos sábados: Vinícius, Daniela e Cíntia
2) Brás pergunta os planos da prefeitura: Zanuzo e Molina
3) Passada a eleição, quais foram as promessas dos políticos: Zanuzo e Molina
4) A imagem que a Brás precisa reverter: Zanuzo e Gustavo
5) A fé que move a Brás - igrejas: Ursula e Cássia
6) Saúde na Brás: Maria Evana
7) Diversão: Fabiano
8) Estilos (jovens) na Brás: Juliana e Graziela
9) Variedade no comércio: Aline e Mariana
10) Estúdio de Tattoo: Aline e Mariana
11) Decoração de Natal e Papai Noel: Ismael
12) A rivalidade Grenal: Anan e Rodrigo
OBS.: cada um deve trazer mais duas pautas da Brás; uma primária e uma secundária.


- A distribuição das funções para esta edição do Enfoque é a seguinte:

Subeditora: Natacha
Chefe de Reportagem: Mariana Aguirre
Produtora: Maria Evana

Eis a capa do Enfoque, moçada

Maior orgulho de vocês, moçada. Grande abraço a todos!

As horas que nos faltam. . .

Galera.
Na última aula, enquanto revisávamos o Enfoque, rolou o papo das "horas".
Então, aqui vai uma dica de evento "de grátis":

Seminário Estadual de Comunicação Cooperativista

Tá no site coletiva.net.

29 de out de 2008

Autodidatas

Brincamos, nos divertimos, mas a tarefa rolou. A reunião de pauta, sem a presença do ilustríssimo senhor professor, fluiu naturalmente. Conseguimos resolver os problemas e levantar assuntos interessantes para fazermos a cobertura na próxima saída de campo.

Com a experiência adquirida, cada um sabe exatamente o que é preciso fazer para que a máquina ande. Como parte de um grande sistema. Agora só resta ir novamente para a Vila Brás e colocar em transformar as idéias em assuntos práticos.

26 de out de 2008

Sobre a exigência do diploma

Repasso e-mail que recebi de Carlos Franciscato, presidente da SBPJor, por relevante:
"A SBPJor, a Fenaj e o FNPJ tiveram, nesta quinta-feira, dia 23, uma audiência com o ministro de Educação, Fernando Haddad, em Brasília, para discutir a formação superior em jornalismo. Vou repassar um breve resumo das questões colocadas na reunião, particularmente as posições expressas pelo ministro acerca do tema:
1) O ministro informou que o MEC não está trabalhando com uma hipótese de formular uma proposta que substitua a formação graduada em jornalismo: “Queremos que os jornalistas continuem sendo formados em cursos de graduação, é uma área específica de conhecimento”;
2) Sua preocupação é com a qualidade do ensino em jornalismo, pois considera existirem deficiências na formação graduada. Para ele, o jornalismo é um dos quatro cursos fundamentais ao funcionamento do Estado democrático (os outros três são Medicina, Pedagogia e Direito) e, por isso, o MEC entende necessário estimular uma reavaliação das diretrizes curriculares de jornalismo;
3) O MEC avalia que esta discussão independe da votação, pelo STF, da exigência do diploma, e o Ministério não pretende se envolver nesta temática específica: “Nosso problema é de formação, não de exercício profissional”;
4) O Ministério está propondo a formação de uma comissão de especialistas para fazer uma revisão das diretrizes curriculares. Esta comissão seria formada por pessoas com duplo conhecimento sobre o jornalismo: acadêmico e profissional. SBPJor, Fenaj e FNPJ poderiam indicar nomes, a título de sugestão, para compor esta comissão, a qual elaboraria um documento a ser encaminhado ao Conselho Nacional de Educação, que deliberaria sobre as novas diretrizes. Com estas novas diretrizes, o MEC espera ter uma “métrica de qualidade” em jornalismo;
5) O MEC estuda também a possibilidade de adotar uma inovação para os cursos de graduação em geral, instituindo o que ele chamou de “dupla diplomação”: mecanismos para possibilitar que uma pessoa, ao adquirir formação em uma área de conhecimento, tivesse facilitadas as condições para obter uma segunda graduação. Para o ministro, esta fórmula poderia ser aplicada em algumas áreas da graduação, particularmente em jornalismo. A comissão poderia se debruçar também sobre esta temática;
6) Em uma rápida reunião após a audiência, as três entidades avaliaram que a audiência foi positiva e que seria adequado apresentarmos ao MEC a sugestão de uma lista conjunta para a composição desta comissão do Ministério, ressaltando que as indicações tenham um caráter de sapiência no campo acadêmico e profissional do jornalismo e sem um vínculo necessariamente institucional às entidades".

24 de out de 2008

Da Pauta

Já que a pauta será um dos nossos próximos assuntos, peço permissão para antecipar o que me ocorreu. A Brás tem os seus problemas, sim, e as vezes fica difícil pensar em coisas que não estejam relacionados a eles.
Mas será que alguém já parou para analisar o que “está na moda” na vila? Não pensem que falo da moda elitista, não. O que quero saber é, por exemplo, o que aquelas lojinhas de mil-e-uma-utilidades mais vendem? E nos brechós, pelo que as clientes mais procuram? No salão “bombástico” da primeira edição deve haver um penteado mais famoso, e se tiver manicure, as possibilidades aumentam...!
Qual é a música que mais toca, o filme mais locado, o brinquedo mais vendido, a novela mais assistida, o programa de TV ou rádio mais comentado, o lanche mais famoso? Seguindo essa linha, certamente se vai achar alguma coisa de interessante. Acham que pode render (aceito 'todaequalquer' sugestão)?

22 de out de 2008

Para a próxima aula

Moçada, gostei da "pegada" na aula de ontem. Com isso; com o esforço e a vontade coletivos, estamos com o jornal 99,5% fechado. Ficou para ser montado, apenas, a capa, a 3 e a contra. Mas, como todo o material já está disponível e o Marcelo começou a trabalhar nisso ainda na aula passada, teremos condições, na semana que vem, 28, de revisar e dar os acabamentos necessários. Faremos isso da seguinte forma: no primeiro momento, revisão. Depois do intervalo, eu e o Marcelo faremos os ajustes finais e vocês irão discutir, juntos, 1) as pautas à próxima edição e 2) quem irá ocupar o cargo de subeditor, chefe de redação e produtor. A distribuição será feita por nós no dia 1º de novembro, sábado, conforme combinado. Grande abraço a todos e bom trabalho.

21 de out de 2008

Bruno "um entre tantos"


Pessoal já estava com a mão coçando para publicar alguma coisa.
Pois bem, pegando a deixa dos colegas que falam de seus trabalhos realizados, vou resumir um pouco da idéia de minha materia, que fala de reciclagem.
O pequeno personagem, que mostro nesta foto é o Bruno Porto, 12 anos. É uma lição de vida para muitos marmanjos, que mamam nas tetas dos papais. Colhendo e vendendo materiais recicláves, ele arrecada um dinheirinho para compar lanche na escola e confessa, gostar de fazer "continhas nas aulas de matemática". É Bruno, a escola e o objetivo de vida são os caminhos mais saudáveis para chegar à algum lugar nesta vida, embora não seja fácil!.
Para contar um pouco da historia do Bruno precisaria de um livro inteiro, mas no Enfoque apenas algumas palavras(não que ele não mereça), pelo contrário a sua humilde historia é parte de um montante de exemplos, que poderiam ser contados e lembrados sem cortes e edição.

Querem saber mais sobre a reciclagem e a historiua de Bruno? Confiram no próximo Enfoque.

Saída individual de campo amparada na solidariedade

Dei um pulinho na Brás nesta segunda-feira à tarde pra fazer a foto da menina com vocação para os bichos, na rua 26. Fui bem recebido, conheci o pátio, a bicharada e tals. Foi um sufoco reunir os 11 animais. Claro que não foi possível juntar em torno da menina, ao mesmo tempo, dois gatos, dois cães, um pato, quatro galinhas e um casal de periquitos.

O trabalho transcorreu com tranqüilidade. Porém....aaahhh porém, o retorno foi atribulado. Antes de voltar pra casa, resolvi dar uma forcinha pro Leandro Molina e confirmar o nome de um sujeito na rua 23. A via mescla saibro e pedras soltas. Ao longo dela se proliferam casas de madeira, algumas do tamanho de um carro.

Quando voltei para a avenida Leopoldo Vasun, convicto de uma saída de campo individual bem-sucedida, a traseira da moto começou a gingar. O pneu FUROU! Empurrei o veículo de 200 quilos por uns 500 metros, sob um sol de TRINTA graus.

A presteza do dono de uma loja de bicicletas amenizou o esforço. Vendo meu problema, chamou-me e sugeriu que enchesse o pneu e fosse rapidão até o fim da avenida, onde havia uma borracharia.

Deu certo, imprimi velocidade e cheguei na entrada da vila sem muito esforço, apesar de que naquela altura tava ensopado de suor. Seu Laurindo, o borracheiro, cobraria R$ 5 pelo conserto. Ele é tão magro que parece não ter força de segurar a chave. Como meu pneu já tava mais pra lá do que pra cá, negociei um usado e o conserto por 20 pilas.

A solidariedade do tio das bicicletas e a flexibilidade de seu Laurindo tornaram a pauta na vila Brás uma experiência positiva: ainda é possível contar com a boa vontade das pessoas.

Queridos colegas...

Povo,
Quero agradecer a participação de todos. Estamos construindo um ótimo produto, que melhora a cada dia.
Sem a boa vontade e a dedicação geral da turma, não seria possível conseguir o que conseguimos.
Parabéns aos colegas, amigos e repórteres do enfoque!
Parabéns ao professor também. Grande Soster!!!
Estamos adiantados, mas ainda restam alguns afazeres.

PS: Algumas matérias precisarão ser editadas, por isso, fiquem atentos à solicitação do Marcelo. Houve um pequeno "errinho" com relação ao número de caractéres.

Analogia Quadrinhística

Como será o fechamento desta história? Talvez o mocinho vença, talvez o anti-herói. Durante a passagem do enredo, personagens principais, figurantes e vilões se empenharam em buscar e revelar os segredos do lugar longinqüo: Planeta Brás. Agora, na reta final, qual será o seu desdobramento?

Será que realmente conquistamos o planeta dominado, após reforçar e praticar empiricamente o conhecimento acumulado durante os anos de batalha? Fomentamos o alter-ego dos inocentes do planeta em revelar seu passado, suas angústias e suas felicidades. Mas e o nosso?

Será que fomos convicentes conosco mesmo e fizemos um bom trabalho? Acho que somente o último filme dessa trilogia responderá essa pergunta!

Parceria


Jornalismo também é parceria. Em nossa última estada na Brás, entrevistei um cidadão cujo o apelido é "Pernambuco". Preocupado com as informações a respeito do esgoto que invadiu o pátio do cara, saí de lá sem perceber que tinha cometido um erro básico. Não perguntei o nome e a idade do Pernambuco. Por isso a matéria ficou embargada para a próxima edição. Mas nesta segunda-feira pela manhã, conversando com o Fernando Zanuzo no trabalho, ele comentou que iria até a vila durante a tarde. Falei para ele sobre a possibilidade de descobrir o nome do Pernambuco da rua 23. Era a única referência que eu tinha. Pois o Zanuzo foi lá fazer o trabalho dele e foi até a rua 23 bater de casa em casa. A boa vontade do amigo e colega resultou num pneu da moto furado, mas encontrou a casa do rapaz e falou com a esposa dele. O pernambucano tem um nome: Amauri Cabral da Silva, 32 anos. Na próxima edição deverá sair a reportagem que mostra a triste situação de uma família. A parceria da equipe é fator fundamental para construírmos um bom jornalismo. Principalmente numa situação de esquecimento, ou erro, como aconteceu comigo.

20 de out de 2008

O papa-defunto da Brás

A pergunta na reunião de pauta foi a seguinte: tem algum morador da Brás que tem alguma profissão diferente, inusitada?
A resposta veio na hora, tem o papa-defunto.
Ora, ora, profissão diferente, estranha?
Carlos Roberto Trein, agente funerário, não concorda.
Para ele a sua profissão é como outra qualquer!

Será? Ficou curioso? Então não perca a matéria com mais essa "personalidade" da Brás, no próximo Enfoque.

Créditos da foto para Auryane!

16 de out de 2008

Mudança de data na saída a campo

Moçada, proponho anteciparmos em uma semana nossa ida à Brás.
Vamos no dia 1º de novembro, sábado.
Significa que nós precisamos montar/revisar o jornal na aula que vem, 21, e revisá-lo, mais tardar, dia 28.
Estamos adiantados, de forma que não vejo problemas nisso.
O Enfoque tem de ficar pronto até o dia 31 de outubro e, no sábado, nós e o pessoal da associação distribuiríamos juntos.
O único problema é que não daria para fazer a avaliação com o pessoal da Brás, mas a gente pode fazer depois da saída a campo.
Inclusive acho melhor, à medida que eles terão tempo de ler as matérias.
Tudo bem pra vocês se for desta forma?

RESUMINDO

MONTAGEM/REVISÃO: dias 21 e 28 de outubro
IMPRESSÃO: até o dia 31
SAÍDA A CAMPO:
dia 1º de novembro, sábado

15 de out de 2008

Relação de matérias por página

Segue abaixo a distribuição das matérias por página para a segunda edição do Enfoque.

Página 2
Professores (abertura c/foto)
Professor na Brás (c/foto)
EJA

Página 3
Reciclagem (abertura c/foto)
Nsa. Sra. da Brás (c/foto)
Cuidadoras de crianças (c/foto)
Serviço

Página 4
Papa-defunto (abertura c/foto capa)
Moto-táxi (c/foto)
Lancheria
Pizza (c/foto)

Página 5
Menina Zanuzo (abertura c/foto capa)
Irmãos Ursula (c/foto)
2º grau
Serviço

Página 6
Sede Associação (abertura c/foto)
Área invadida (c/foto)
Incêndio (c/foto capa)
Serviço

Página 7
Chaminé (abertura c/foto)
Deficientes (c/foto)
Produtos de Limpeza
Serviço

Página 8
"Segredo nosso"
Enquete

Balaio para a próxima edição

Rádio/Quadra
Crônica
Cães da Brás
Transporte Eficiente
Esgoto
Pastoral
Calçamento
Blog
Meninos da Progresso

Espero vocês na Feira do Livro, moçada


14 de out de 2008

O Repórter do Século

No mês passado, a Unisinos trouxe José Hamilton Ribeiro para conversar com os alunos de Comunicação. Aqueles que tiveram a oportunidade de assistir à palestra hão de concordar que foi excepcional. Apesar do evidente cansaço e do efeito que os anos têm sobre um homem, a lucidez e a presença de espírito de Zé Hamilton são admiráveis. Ganhador não de um, não de dois, não de três, mas de sete Prêmios ESSO de reportagem, ele deu uma aula e uma injeção de ânimo aos futuros jornalistas que lhe ouviam.

Aproveitando que estamos exercitando nosso espírito de repórteres, tentando aguçar nosso faro jornalístico, gostaria de dividir duas ou três idéias extraídas da referida explanação. Quem viu pode relembrar. Quem não esteve lá, pode "sentir o gostinho" do que foi a fala de um dos grandes repórteres brasileiros (modesta opinião desta que vos escreve). Que isso nos sirva de modelo e inspiração enquanto damos corpo a mais um ENFOQUE.

Zé Hamilton apontou algumas fórmulas do profissional e da reportagem ideais:

- J= (V+F) + (E+I)
Traduzindo: um bom jornalista é uma mistura de vocação e formação + energia e idealismo;

- GR= (BC+BF) + (TxT)n -> esse "n" é pra ser na potência n.
Traduzindo: uma grande reportagem tem um bom começo e um bom final, que são resultado do talento e do trabalho necessários;


Ele também contou experiências como a em que cobriu a Guerra do Vietnã (pra quem se interessar, vale a pena ler "O Gosto da Guerra"), quando perdeu uma perna ao ser atingido por um mina. Atualmente, ele trabalha no Globo Rural e diz que algumas pessoas lhe perguntam o que um profissional como ele faz trabalhando num programa sobre verduras e vaquinhas. Ele se diverte, mas responde, de maneira séria, que hoje esse é um dos poucos espaços em que se pode fazer reportagem em profundidade e de qualidade na TV aberta.

13 de out de 2008

Menina exemplo

Como não pude ir aos sábados, na semana passada estive na Vila Brás, sozinho. Foi muito tranquilo, as pessoas muito solicitas aos pedidos de informação. Não senti o tal medo, demonstrado por um dos fiscais de estacionamento da Safepark da Unisinos para qual pedi informações de como chegar mais rápido na Vila.

Depois de alguns minutos, encontrei a casa da desempregada Genair Araújo. A conversa à beira do portão, no fim da avenida Leopoldo Vasun, rendeu uma pauta muiiito bacana. Ela contou-me que a filha caçula, Camila, de 11 anos, cria simplesmente...ONZE animais (gatos, cães, periquitos e galinhas). A garotinha não pode ver um bicho na rua que já quer levar para cuidar.

A matéria está na pauta desta edição do Enfoque. O mais legal é a consciência e o amor pela natureza de uma menina pobre. Mesmo com orçamento apertado, a família apóia a caçula no que é preciso: ração e vacinas. O desejo dela, claro, é ser veterinária. Confira no Enfoque!

10 de out de 2008

Olha o alho!

Nas duas vezes em que estive na Brás, encontrei com o Seu Luís, conhecido vendedor de alho na vizinhança. Morador da Vila Paim, na região oeste de São Leopoldo, Luís César de Braga tem 53 anos e vai semanalmente vender na Brás. Por R$ 1, o cliente leva um saquinho com cinco cabeças de alho gaúcho, adquiridos na Ceasa, em Porto Alegre.

Garantindo que é consumidor do produto que vende, Seu Luís circula pelas ruas da Brás entoando seu harmonioso mantra dos negócios. Mantendo a cadência, vai fidelizando a clientela, que lhe garante a venda de 50 saquinhos a cada manhã que está pela Vila. Mesmo acanhado, Luís solta o gogó e anuncia que "Chegooou o aaaalho, baraaato o aaaalho, um real o aaaalho".

Pois se o alho é fundamental para engordar o orçamento do Seu Luís, também é importante elemento da história da humanidade. Suas origens são imprecisas e nos levam para milhares de anos atrás, já que a visão maometana da expulsão de Satã do Paraíso é composta por alhos brotando da pegada esquerda do Capeta!

Mesmo com data de nascimento indefinida, é unânime que o bom e velho alho vem acompanhando a heróica trajetória das mais antigas civilizações. Antes de chegar na Brás, o alho era mal visto, ou melhor, sua fragrância não encantava, pois até em cultos de deuses gregos era vetada a entrada de pessoas cheirando a alho.

O tempo foi passando e a aristocracia continuava avessa ao coitado do alho. E o clero, fazia do humilde vegetal um indicador de classe social. Toda essa frescura fez o escritor francês Raspail apelidar o injustiçado alho de “cânfora dos pobres”. Puro esnobismo!

Pulverizando o despeito dos poderosos, o alho buscou seu lugar ao sol. Lá no Egito Antigo, servia para compra de escravos e ainda valia como pagamento de imposto por parte dos siberianos. Coligado com a cebola, foi ingrediente essencial para manter a dieta equilibrada dos operários que ergueram as majestosas pirâmides.

Na conservação de cadáveres lá estava o bravo e valente alho, pois consta que até no túmulo de Tutankamon vários dentes de alho foram encontrados. Além de cemitéros pré-históricos, onde o poderoso era arma para espantar espíritos malignos.

Forte contra vampiros e o mau-olhado, o alho já foi personagem de milhares de artigos em revistas científicas sobre suas atribuições medicinais. No Egito, ainda hoje o povo esfrega alho nas portas das casas, afastando os espíritos negativos. Seja defenestrando os espíritos do mal e servindo de escudo para diversas doenças ou dando um gosto especial aos mais variados pratos, o alho hoje é amado por todos e o Seu Luís está em todo sábado de manhã vendendo na Brás deste jeito que você vê no vídeo.

8 de out de 2008

Temos um link no Portal 3

Olha que legal, moçada: ganhamos um link específico para o Blog do Enfoque Vila Brás no Portal 3, que está sendo reformulado e todo bacana desde já. Ao pé da tela, na seção com a cartola Sala de Aula. Além do nosso, há no local links para os blogues desenvolvidos em outras disciplinas, caso do Observatório da Mídia; F5; Pensando RP e comunicação e, finalmente, Estágio Multimeios. Mas não é só isso: lá em cima, no link Jornalismo, e depois Publicações, temos os PDFs do Enfoque. Confiram. Acima, o novo desenho do Portal 3. Bem legal.

Mais uma do Enfoque... Leitura na adolescência

Na terça-feira da semana passada estava na Vila Brás coletando dados e entrevistando pessoas na escola para fazer minhas matérias. Ao fazer algumas enquetes, perguntando a opinião dos moradores sobre o Enfoque, percebi mais uma qualidade do jornal: os adolescentes estão lendo.
A iniciativa de distribuir o jornal dentro escola para os alunos resultou na leitura do mesmo por muitos jovens. Ao responderem a enquete a maioria falou da importância das informações. Mas eu, como observadora do local, pude perceber que muitos jovens liam o jornal, acho que além de informar, o que proporcionamos é o costume da leitura na Brás.

O tom é este

Gostei muito da aula de ontem, galera. A maioria de vocês estava visivelmente empenhada em resolver o Enfoque, como deve ser. O resultado é que, até ontem à noite, tínhamos 11 matérias em condições. Com as que estão em produção, e devem ser concluídas até terça-feira, este número deverá dobrar. Isso é bom, em primeiro lugar, porque dará tempo de pensarmos a edição para além do conteúdo editorial, bem como revisá-la e cuidar dos demais itens que, sabemos, surgem ao longo do processo. Este é o tom. Prossigam. Na semana que vem distribuímoas as matérias ao longo das páginas e começamos a pensar na capa.

7 de out de 2008

Backup do dia 07/10

Então, essa terça rendeu. Ufa!!!
Aos colegas que ainda não fecharam suas matérias, corram, pois temos até a próxima terça. Temos que fechar redondo.
E a lista segue assim,

Fahra - projeto meninas e meninos de progresso (próxima terça)
Pati e Aury - Papa-defunto (pronta), moto-táxi (pronta), transporte público (semana que vem)
Rodrigo e Ana - Eja e Dona Joceli (próxima terça)
Mari, Jú - rádio (próxima terça)
Evânia - reciclagem (pronta) + serviço
Marcelo - iluminação pública (pronta), moradores discriminados (semana que vem)
Pauline - identidade (pronta)
Gustavo - cadeirantes e transporte público, juntaremos com a nossa (aury e pati) -
Vinicius - vendedor de linguiça e associação (próxima terça)
Cintia e Zanuzo - cuidadores de criança (pronta)
Cintia - moradora reivindica casa (próxima terça)
Zanuzo - pequena veterinária e eleições (próxima terça)
Kássia - Chaminé (pronta)
Grazi - Brechó (pronta)
Úrsula - irmãos gêmeos (pronta) retranca de calçamento vai encaminhar para Ismael.
Manuela - cães da Brás

Mudanças e demais esquemas, discutiremos na próxima aula.

Abraços

O foco da matéria

Estou prestes a desistir da disciplina, mas não sem tentar mais um pouquinho...

Não pude ir à Brás e não estou conseguindo dados que me deixem próximo da Vila.
Os dados da prefeitura são gerais e não abrangem o que eu queria fazer. Então estou mudando um pouco o foco. Não vou falar apenas da prostituição, mas de todas as questões que envolvem o Conselho Tutelar. Vou pegar uns contatos com o Schitz para falar sobre a atuação do Conselho na Vila. Vou tentar não falar muito da conselheira que é moradora da Brás. Uma matéria já foi feita sobre isso no ano passado.

Peço encarecidamente que quem tiver material, dados, ou contatos referentes a minha matéria encaminhe para o e-mail: tais2706@hotmail.com

Valeu!!

A burocracia das informações

Mafagafos...
Estranho, mas é. Vida de Jornalista não é fácil. Ainda mais estudante. Conseguir qualquer informação de uma autarquia política usando os termos "trabalho de aula" "estudante" é como dar bergamotas para girafas. Não surte efeito algum. É preciso utilizar algumas artimanhas para coletar informações.

Agora, sempre que ligo para algum órgão público, me identifico como jornalista de algum veículo e peço diretamente pelos responsáveis sobre o assunto. Verdade. Preciso mentir, ou melhor, "burlar" a burocracia para ser atendido. Parece que só quando surge a frase completa "sou do jornal/rádio/revista tal" eles se prestam a esclarecimentos. Fazer o quê?

Podia invocar a 4ª ou 5ª ementa da liberdade de imprensa ou o Artigo 7º sobre o domínio dos dados públicos [esses eu inventei], mas não iria adiantar. Até lá, aterrorizo as assessorias interferindo nas negociações com veículos de comunicação de grande porte da região.

Sobre a pauta do Conselho Tutelar

A Thaís está fazendo a pauta sobre a prostituição na Brás e o Conselho Tutelar.
O fato da conselheira ter sido eleita pelos moradores da vila e depois ser transferida realmente é algo legal de abordar também.
Acabei achando uma matéria do Enfoque do ano passado sobre essa eleição: "A primeira conselheira da Brás".

Ó Thaís, espero que te ajude de alguma forma.
Abraços

Cãs da Brás

Não fui na aula passada, mas estou trabalhando na matéria sobre os Cães da Brás e é tanto material que vamos ter que discutir em aula uma forma de centralizar o foco. Ainda não montei a matéria, mas só de tópicos são mais de duas páginas de Word. Tenho convicção que tem potencial para ser matéria de capa. Talvez o perfil do Peludo - o Floquinho da Brás - tenha que ser uma pauta a parte.

Ursula, se puderes trazer aquelas informações sobre as ONG's na aula de hoje, agradeço.

6 de out de 2008

Serviços

Pessoal,

Como eu e a Mariana não fomos na Vila Brás ficamos responsavéis pelos serviços.
Já estamos encaminhando tudo e já estamos com cartas legais na manga! Aguardemmmm!

Abraços.

4 de out de 2008

Informando geral

Galera,

Seguinte, vamos nos encontrar na terça para dar continuidade ao trabalho da semana passada. Até lá, ajustem suas matérias. Lembrem-se que cada um deve escrever ao menos duas (negociável). Os que não têm pauta devem falar comigo.
Em aula, vocês me avisam do que foi feito e do que ainda está em andamento. As que estiverem prontas devem ser arquivadas na pasta criada para o Enfoque, no público.
Farei uma nova lista e publicarei no blog.

Abraços e vamo que vamo,

3 de out de 2008

Fazendo contato . . .

Como fui terça-feira à Vila e tive as outras disciplinas durante a semana, ainda estou atrasada com a produção de minhas matérias.... mas vai sair...

Preciso de algumas informações:

1. A colega Graziela Trajano me ofereceu contatos sobre o projeto Coruja. Realmente, ele tem a ver a minha pauta, que é do EJA. Então, eu vou precisar. Aguardarei teu retorno, Graziela. Meu e.mail é: anacristinabasei@yahoo.com.br

2. Preciso saber se alguém tem o número de telefone da Escola João Goulart. Pretendo ligar para a diretora para pedir mais informações da minha matéria.

3. Para Auryane (chefe de reportagem): também quero teu e.mail. Entrarei em contato para informar pautas e andamento dos trabalhos.

Até terça!

2 de out de 2008

Portal 3 veicula matéria sobre o Enfoque

Moçada, confiram matéria sobre o Enfoque Vila Brás veiculada no Portal 3. Entrem por aqui., ou direto na imagem. Abraço a todos.

A primeira parte tá saindo, mas a segunda...

Gente, depois do puxão de orelha!!!
Quero dizer para o nosso subeditor, Vinícios, e para a nosa gloriosa chefe de reportagem, Auryane, que eu mandei para o Público a minha matéria, para uma primeira avaliação e para sugestões, pois estou muito confusa com o formato e com o excesso de informações que há nela. Nem conferi os cc.
Se puderem, vejam logo para eu arrumar o texto o quanto antes.
Também quero ajuda para bolar uma ilustração tipo símbolos da reciclagem etc.
Não sei o quanto posso aprofundar o conteúdo!
Também acho que, dessa vez, o nosso querido Enfoque pode colocar pessoas na capa.
Que acham, queridos colegas?
Descobrir um site muito bom sobre reciclagem. Podem ficar a vontade: http://www.recicloteca.org.br

Com a palavra: Schütze

A pergunta da Enquete da próxima Edição é: O que você acha do Enfoque?
E não poderia faltar a opinião do Schütze, presidente da Associação dos Moradores da Vila Brás.

1 de out de 2008

Fluxo de produção do Enfoque

Pessoal, para este segundo Enfoque, que já está em processo de produção, é importante que todos sigam o que combinamos ontem, terça-feira, a saber:
1 A Auryane, como chefe de reportagem, deve ser informada a respeito das pautas que vocês estão fazendo, do andamento das mesmas e do momento em que vocês concluirem o trabalho. O mesmo em relação às fotografias/ilustrações que acompanham o material. Ela irá procurar vocês individualmente, mas é importante que todos tenham uma postura propositiva neste momento e se antecipem a ela.
2 A Ursula, como produtora, está aí para ajudá-los em eventuais dificuldades de percurso. Caso, por exemplo, de faltar algum dado/contato para a matéria de vocês.
3 O trabalho do Vinicius entra quando vocês comunicaram à Auryane que a matéria está concluída. Ele salvará, então, a matéria na pasta "matérias pré-editados", verificará se está tudo ok, e salvará, então, o material na pasta "editados", onde somente eu posso mexer.
4 O Marcelo abriu uma pasta de fotografias para que vocês salvem, em pastas específicas, o material imagético produzido por vocês. É importante que todo o material produzido esteja lá, em especial para que, por ocasião da capa, possamos ter boas fotos disponíveis.
É importante que vocês entreguem, o quanto antes, seus textos e fotografias, para que, assim, possamos editá-los com mais atenção, evitando possíveis erros.
Pedirei, por fim, para o Marcelo abrir uma pasta somente para os textos das enquetes, que deverão estar prontos na próxima aula.

A noite na Vila

A ida à Vila ontem à noite foi divertida e produtiva.
Eu (Ana Cristina), Mariana, Juliana e Natacha fomos de ônibus.
O "Cabeça" nos recebeu muito bem na escola e nos encaminhou com as fontes.
Ficamos por lá entre 19h30m e 21h.
Apesar do pouco tempo, conseguimos cumprir nossas pautas e ir um pouco além. . . .
A Vila Brás é bem tranquila à noite e chegar de ônibus lá é muito mais fácil do imaginávamos.
Valeu a experiência. Agora é escrever!