28 de abr de 2009

As matérias que chegam até nós

Como já foi citado em posts anteriores, a Vila Brás pode ser uma verdadeira caixinha de surpresas, e em nossa última visita não foi diferente.
Chegando à Vila, e eu e minha colega Vanessa Reis tínhamos uma idéia inicial de pauta, que acabou caindo por terra após alguns minutos no local.

Distribuindo nossa primeira edição do Enfoque, encontramos a Sra. Cleide. Demonstrando muita empolgação ao ver a equipe do jornal em seu bairro, essa simpática senhora nos levou ao que seria nossa matéria de abertura, a história de Tânia, 33 anos, e que apesar da pouca idade, já havia passado maus momentos.

No ano de 2006, o Enfoque já havia entrevistado Tânia, devido à descoberta e luta contra um câncer, contando com o apoio de toda comunidade do local. Como ela está hoje e como foi toda sua luta, veremos na próxima edição do Enfoque Vila Brás.

Foto: Vanessa Reis

27 de abr de 2009

Escrita com a luz

Mesmo que isso não seja nenhuma novidade para muitos, nunca demais lembrar que a palavra fotografia deriva do grego photos, "luz", e graphein "escrever". A partir disso, muitos autores vão trabalhar com a noção de, literalmente, uma escrita com a luz para definir esse técnica.

Dentro do campo do fotojornalismo, podemos notar que essa noção é bastante providencial. Ou seja, da mesma forma que um repórter vai a campo produzir suas matérias e reportagens a partir da linguagem verbal, o fotógrafo também busca narrar esses fatos através de imagens.


Como o nosso colega aí na foto, o Marcelo Gomes. Muito mais do que meramente ilustrar determinado conteúdo, a fotografia cumpre um papel - dentro do fotojornalismo - de sintetizar esse acontecimento, extrair dele a sua essência, o que de mais importante deve ser 'enquadrado'.

Para o fotógrafo Rogério do Amaral, "talvez seja no fotojornalismo que a fotografia apresente de maneira crua e viceral toda a sua essência como meio de comunicação e expressão. Ele exige a presença, a percepção dos acontecimentos e a rapidez na operação da câmera fotográfica".

24 de abr de 2009

Prevenção na Brás















Em nossa última visita à Vila Brás encontramos integrantes do Ministério da Saúde distribuindo camisinhas ao moradores que passavam pelas ruas. Segundo informaram, a distribuição vem acontecendo em diversos bairros considerados carentes. A medida do Ministério da Saúde ocorre para controle do índice de natalidade e prevenção de doenças sexualmente trasmissíveis (DST).

Surpresa nada agradável


Na primeira semana de abril a Vila Brás foi foco da imprensa regional devido a um dos alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental João B. Goulart estar armado. Felizmente nada de ruim aconteceu, mas a notícia repercutiu na mídia.
Alguns moradores reclamaram que a imprensa só mostra o lado ruim da Vila e só aparece quando essas situações acontecem. O que eles queriam é que todos pudessem viver o dia-a-dia e ver realmente o que é a Vila.
Muitas vezes pensamos que estas questões acontecem longe da nossa realidade, mas quando aparece, é mais perto do que imaginamos. E até onde irá essa violência nas escolas e desrespeito aos educadores?

Fotografias para a segunda edição

Hoje começaremos a editar as fotos para a segunda edição do Enfoque no semestre. Quem tem fotos sobre suas matérias, por favor tragam. 

Para o trabalho fluir com harmonia, eu pediria que, ao chegar, abram as  fotos em seu computador. Pretendo sentar com cada um para podermos escolher  a melhor imagem para as matéria. Seria interessante se houvessem sugestões de capa. 

Vocês já podem fazer uma pré-seleção do material, eliminando fotos tremidas ou com qualidade que não é possível usar para o jornal. 

Depois de selecionarmos todas as fotos, passaremos todas para a edição no Photoshop em uma única máquina  e depois para o Marcelo Garcia, nosso diagramador. 

22 de abr de 2009

Vídeos


Gurizada, 

1) Se alguém captou bons vídeos na Brás ou na Unisinos, mas não conseguiu fazer o upload no Vimeo, por favor me avise, que eu dou uma ajuda. Ou façam o upload no YouTube e eu tento adequar o formato ao blog. 

2) Conversando com as meninas, na sexta, notei que há um receio sobre o crédito dos vídeos. Eu apenas vou publicar no site, mas o crédito é 100% de quem fez o vídeo. 

3) A Vanessa Coimbra e a Fernanda Mineiro passaram alguns trechos de vídeos pra mim, mas não consegui utilizar porque o áudio está muito, muito, baixo. Vou levar os vídeos de volta na sexta, e ai vocês podem tentar editar com outros programas, algo assim. 

4) A foto meramente ilustrativa (:P) é só pra lembrá-los de nosso Flickr. Ele tá meio abandonado desde o começo do mês, se todos que tiraram fotos publicarem pelo menos uma ou duas que acharam legais, já vai dar uma boa galeria. 

Qualquer dúvida, e-mail-me.
;)


21 de abr de 2009

Aviso aos navegantes

Pessoal, gostaria que todos se empenhassem ao máximo em dar conta das matérias e textos opinativos que lhes cabem desde já, para que não deixemos acumular para o final todo o processo de edição. Com isso, reduziremos a possibilidade de erros e teremos um jornal ainda melhor que o primeiro.

Neste sentido, e considerando que os textos de opinião exigirão ilustrações (que têm de ser encomendadas) e ocuparão as páginas 2 e 3 da edição, pretendo encaminhar estas duas páginas à montagem já na aula de sexta-feira, para que tenhamos tempo de produzir as ilustrações. Na seqüência, vamos editando e montando as demais, cujo primeiro passo é o envio dos textos à editora do Enfoque, Priscila.

Os textos destinados à página 2 e 3, e seus autores, são:

Página 2
Opinião
'Tipos da Brás' - Marcelo Gomes
'Vôos da Brás' - Genésio Barão, Kaiser Konrad, Mariana Bechert
'Crianças, contrastes' - Márcia Lima
Ilustração
Errata

Página 3
Opinião
'Desafio do bolo inglês' - Anaiara Ventura
'O que quero ser quando crescer' - Mariana Scherrer
'Moradores: exemplo de cidadania' - Gisiane Andrade, Renata Lopes
Texto sobre as novidades do Enfoque
Ilustração

Abraço a todos e até sexta-feira.

A Brás possui revenda da Natura e Avon


Para você que é uma pessoa vaidosa, que gosta de se cuidar e andar sempre em dia com a sua aparência, dê uma passada no Bar e Lancheria Padilha, que é revendor AVON e NATURA. É isso aí, pessoal. Agora ficou mais fácil para o vocês, moradores da Vila Brás cuidarem da própria aparência! E para fazer o pedido das suas encomendas, é muito fácil, basta aparecer por lá, dar uma folhada nos livrinhos e fazer o seu pedido com a Jucelaine. O Bar e Lancheria Padilha fica na Rua Leopoldo Wasun, número 16.

Aproveitem!!!!!!

Lembretes da edição

Informações/Avisos importantes:

Na próxima aula (24/04) tragam suas fotos para o editor de fotografia (Marcelo Gomes).

Podem enviar seus textos! Até agora recebi pouquíssimos...

Por falar em textos, aí vai a estrutura:

Abertura

Título: Uma linha de 33 caracteres ou duas de 20 (pode variar um pouco)
Linha de apoio: Uma linha de 80 caracteres (pode ser quebrada em três linhas)
Texto: 1800 caracteres
Legenda: cerca de 40 caracteres (em qualquer matéria)
Chamada de capa: título com 2 X 20 e texto de 200 caracteres

Secundária com foto

Título: 1 X 30
Texto: 800

Secundária sem foto

Título: 2 X 30
Texto: 1380

Terciária com foto

Título: 1 X 30
Texto: 580

Terciária sem foto

Título: 2 X 22
Texto: 900

Serviço (com ou sem foto)

Título: 1 X 45
Texto: 500

Textos Opinativos: 2 mil caracteres

Alterações na distribuição das páginas

Colegas,

Primeiramente, aproveito a oportunidade para esclarecer uma coisa: o professor já havia me explicado que não há problemas quanto à "recolocação" de matérias. O que quero dizer com isso? Matérias qualificadas por vocês como "abertura" poderiam ser colocadas como "secundárias" e assim por diante...

Quando distribuí as matérias por páginas fiz algumas "recolocações". Claro que vocês podem questionar isso, como fez o colega Bruno Alencastro. Afinal, já nos aconselharam a "brigar por nossas matérias". "Brigar" no bom sentido. Se vocês não concordam com esse tipo de alteração, vamos conversar. Sem problemas...

Enfim, a matéria sobre a educação para o trânsito, dos repórteres Bruno Alencastro e Daiane Benin ficará para próxima edição. Será substituída pela matéria de Anaiara Ventura sobre o maior bar da Vila Brás.

Outras alterações poderão surgir... Mas por enquanto é isso.

Casas da Bacia II

Refletindo sobre a origem da Brás, que se deu primeiramente por invasões, e sobre tudo que ainda falta para que ela ofereça melhores condições de vida aos seus moradores, não podemos esquecer o esforço daqueles que a construíram e dos que ainda a constroem. E com certeza, um lugar com o mínimo de infra-estrutura é o que todos desejam, independente do bairro que habitam.

Por isso, mostrar a luta dos moradores que conquistaram o direito de viver em uma moradia digna é uma forma de testemunhar e abrir espaço para que eles continuem buscando sua independência.
Essa é uma das faces que vamos mostrar na próxima edição, com a continuação da matéria sobre as Casas da Bacia.

20 de abr de 2009

Sede já é conhecida

A nova sede da associação dos moradores da Vila Brás já é velha conhecida de quem acessa o blog. É o que aponta a enquete encerrada nessa segunda-feira, 20.



Em azul, os 50% que já conhecem a sede.
Em vermelho, os 37% que ainda não tiveram a chance, mas querem conhecer.
Em amarelo, os 12% que não frequentam e vila e, consequentemente, não conhecem a sede.
A resposta "ajudei a construir a sede" não teve nem mesmo um pontinho.

Mas isto deve mudar, agora que estamos divulgando o blog nas lan houses da Brás :)

A nova enquete quer saber: o que você achou da primeira edição do Enfoque Vila Brás, do semestre? Participe.

Como dizer que tudo é paz na Brás?

Diferentemente do que afirma Eduardo Trindade em seu post - Pauta impossível, ainda que desejada - não há assunto que não possamos cobrir no Enfoque Vila Brás, em especial quando diz respeito aos anseios e necessidades dos moradores. Esta conclusão é pessoal dele, e não se refere ao processo da disciplina. As pautas, no Enfoque, são discutidas com e pela turma, estando nas mãos desta a decisão de publicá-las ou não, desde que digam respeito à Brás. Por isso soam estranham as referidas "ordens" que ele diz não querer contrariar. De quem são, afinal, estas ordens?

Outra questão: "Apesar do que parece e do que viemos publicando, infelizmente, nem tudo é paz e amor na Brás". Como dizer que tudo é paz na Brás tendo o próprio jornal publicado, por exemplo, matéria falando das crianças que são vítimas de violência; de chaminés que caem, pessoas que invadem terras por não ter onde morar e ausência crônica de locais de lazer à comunidade, para ficarmos em alguns exemplos? Ou o blog, por meio de novas e sucessivas reflexões que são feitas sobre os problemas da violência na comunidade? Uma leitura mais atenta do jornal veria que, infelizmente, nem tudo é paz e amor na Brás.

A diferença, insisto, reside em compreendermos que o Enfoque é um jornal que dá voz aos que usualmente não a tem, mas também observar que, para isso, é preciso um pouco mais que pressa.

19 de abr de 2009

Pauta impossível, ainda que desejada

Ao ler o post da colega Daia, constatei que não foi apenas comigo que aconteceu algo interessante, e ao mesmo tempo frustrante, na última visita à Brás. Apesar do que parece e do que viemos publicando, infelizmente, nem tudo é paz e amor na Brás.
Ao realizar, com dois moradores, donos de pequenos comércios na Leopoldo Vazzum, a enquete sobre o que desejavam ver numa próxima edição do enfoque, surpreendi-me com os anseios deles, exigindo mais segurança contra os arrombamentos em suas casas para comprar drogas. Para evitar problemas, expliquei-lhes, de imediato, que infelizmente não seria possível pautarmos o assunto.
Como não pretendo aqui contrariar as ordens, nem complicar as coisas para nenhum dos comerciantes, que obviamente não desejam se identificar, apenas exponho a explicação da vontade de um deles, por ser emblemática.
Uma cabeleireira, bastante chateada, diz que não tem sossego para trabalhar, pois nas próprias palavras dela "É só eu abrir o salão aqui para um sem vergonha ir mexer na minha casa e levar o que a gente conquista suando. Tudo pra comprar crack. E a gente nem pode reclamar. Esses dias até pegaram um guri com uma arma no colégio. Não tenho mais sossego pra deixar meu filho ali enquanto trabalho."
Sei dos riscos óbvios deste tipo de cobertura e, como expus acima, não pretendo escrever nada que passe perto disso, apenas achei interessante dividir com todos, depois de ler o post da Daia.
À propósito, de três questionados, DOIS pediram a mesma cobertura. Apenas um pediu algo que pode ser trabalhado: a falta de esgoto em casas nas ruas mais de baixo (da 24 adiante).

Distribuição das matérias por páginas

Oi, pessoal!

Está pronta a distribuição das matérias por páginas. Agora o Enfoque terá 12 páginas e outras novidades. Confiram toda a distribuição, pois há algumas alterações e também matérias produzidas para a edição passada.

Capa

Chamada para o blog no logotipo
Manchetes

Página 2

Opinião
'Tipos da Brás' - Marcelo Gomes
'Vôos da Brás' - Mariana Bechert
'Crianças, contrastes' - Márcia Lima
Ilustração
Errata

Página 3

Opinião
'Desafio do bolo inglês' - Anaiara Ventura
'O que quero ser quando crescer' - Mariana Scherrer
'Moradores: exemplo de cidadania' - Gisiane Andrade, Renata Lopes
Texto sobre as novidades do Enfoque
Ilustração

Página 4

Abertura: Posto de Saúde - Rodrigo Duarte, Vanessa Coimbra
Secundária: Leões - Régis Eduardo
Terciária: História de membro da Igreja - Carolina Schubert, Flavia Tres
Serviço: Caminhada orientada - Mariana Scherrer

Página 5

Abertura: Cura do câncer pela fé - Ana Paula Sardá, Vanessa Reis
Secundária: Mulheres que pintam casas - Fernanda Calegaro
Terciária: Maior bar da vila - Anaiara Ventura
Serviço: Mercado/Açougue/Padaria - Fernanda Mineiro, Simone Bertuzzi

Página 6

Abertura: Pastoral da Criança - Anaiara Ventura
Secundária: Projeto Coruja - Gisiane Andrade, Renata Lopes
Terciária: Trabalho voluntário - Fernanda Mineiro, Simone Bertuzzi
Serviço: Pedreiro - Delmar Costa

Página 7

Abertura: Associação - Mariana, Mônica Patrícia, Pauline
Secundária: Terra ocupada (invasão) - Régis Eduardo
Terciária: Torcida (Inter/Centenário) - Delmar Costa
Serviço: Sócios para a Associação - Fernanda Calegaro

Página 8

Abertura: Impressões sobre a Brás - Bruno Alencastro, Daiane Benin
Secundária: História da dona da fruteira - Carolina Schubert, Flavia Tres
Terciária: Reforma de um opala - Eduardo Trindade
Serviço: Nuance Hair - Mariana Oliveira, Pauline Costa

Página 9

Abertura: Escola Aberta (Dança B-Boy) - Marcelo Gomes
Secundária: Radialista - Genésio Barão, Kaiser Konrad, Mariana Bechert
Terciária: Reciclador - Genésio, Kaiser, Mariana
Serviço: Teatro - Ana Paula Sardá

Página 10

Abertura: Grafiteiro - Eduardo Trindade
Secundária: Pit Bull - Mariana Scherrer
Terciária: Internauta, celular - Márcia Lima
Serviço: Jogos de videogame e minimercado (mesmo local) - Marcela, Priscila, Sandra

Página 11

Abertura: Chaminé - Gilberto Dutra
Secundária: Casas da Bacia - Marcela Schuck, Priscila Milán, Sandra Vargas
Terciária: Problemas no esgoto de uma rua - Fabrícia Hess
Serviço: Produtos de limpeza - Bruno Alencastro, Daiane Benin

Contracapa

Material infantil - Fernanda Mineiro

17 de abr de 2009

DIA MUNDIAL DA SAÚDE MOVIMENTA POSTO DE SAÚDE



O posto de saúde da Vila Brás ao contrário de outros sábados, desta vez estava funcionando normalmente. O posto esteve bastante movimentado no sábado do dia quatro de abril, por causa do Dia Mundial da Saúde. Os moradores tiveram a oportunidade de realizar consulta médica com clínico geral e realizar exames gratuitos como: verificação de diabetes e hipertensão. Já as mulheres tiveram consultas com médico ginecologista e puderam fazer a coleta do preventivo (pré-câncer).


A Dona Venância Aquista Paz, 57 anos, moradora da rua seis aproveitou o dia para verificar a pressão e ver como estava sua taxa de glicose, já que é diabética. Ela disse que esse tipo de ação deveria ser realizado mais vezes na Brás.
Para a enfermeira chefe do posto Ana Maria Pedroso, essas ações poderiam até ser feitas mais vezes ao ano, só depende da liberação da Prefeitura de São Leopoldo para que elas aconteçam. A ação reuniu quinze profissionais de saúde e a estimativa era de mais de 250 atendimentos durante o dia.

Momento de folga da produtora

Olá pessoal, nossa equipe de reportagem flagrou uma de nossas produtoras em momento de relax, ao final de mais uma jornada de trabalho na Vila Brás.





Abraço a todos!

O futuro da nova sede da Brás

A nova sede da Associação de Moradores da Vila Brás foi inaugurada e o que acontecerá agora?

Quais os planos para o novo espaço? Quais as dificuldades que ainda estão sendo enfrentadas? Que serviços serão oferecidos através dessa nova conquista?

Na próxima edição do Enfoque estaremos publicando uma matéria referente ao futuro da sede.



PS: Infelizmente a qualidade é baixa, os vídeos foram gravados pelo celular.

Até breve

A cada visita uma surpresa...

Pois é, a Vila Brás mais parece um Kinder Ovo. A cada visita somos surpreendidos pelas falas dos seus personagens misteriosos. Estávamos, o Bruno e eu, gravando alguns vídeos com os moradores sobre o que eles gostariam de ver na próxima edição do Jornal.

O primeiro, pediu que fizéssemos uma matéria relacionada ao trânsito. Segundo ele, os pedestres, especialmente as crianças, arriscam suas vidas ao andarem pelo meio da rua (foto). A falta de consciência também atinge os motoristas, que algumas vezes trafefam em alta velocidade. Falta sinalização, mas também falta consciência.

Pois bem, nosso segundo entrevistado, coincidentemente, também levantou a mesma questão. Impressiona o cuidado e a preocupação que os moradores têm com a segurança e qualidade de vida uns dos outros. Rimos com esta coincidência, mas a supresa ficou mesmo a cargo da nossa próxima entrevistada. Era uma senhora humilde. Eu e o Bruno nos explicamos mais do que o necessário. Achamos que perguntar: "tens alguma sugestão de pauta para a próxima edição do Jornal", dificultaria a compreensão. Perguntamos: "qual assunto a senhora gostaria de ver na próxima matéria do jornal?". Ela pensou um pouco e depois disse: "eu teria uma sugestão, mas infelizmente, existem assuntos que não podem ser PAUTADOS". A senhora, que pensamos que não entederia o que estávamos perguntando, nos surpreendeu ao mostrar que eles também entendem das coisas. Talvez até, muito mais do que nós.

Falando em tipos da Brás


Esse é seu Édio.

16 de abr de 2009

Para a aula de amanhã, sexta

Pessoal, para a aula de amanhã, sexta, a pauta será a seguinte:
1 No primeiro momento, reunião de avaliação do primeiro jornal. Presença dos moradores da Brás. Bom momento para capturarmos imagens em movimento ou não, áudio, informações para os posts etc.
2 A Priscila, nossa editora, entregará fichas a vocês para um primeiro levantamento das pautas. A distribuição das matérias por páginas será enviada por e-mail e publicada no blog até o dia 20/04.
3 Após, vocês começam a redigir os seus textos.
4 Farei, enquanto isso, reuniões isoladas com o pessoal da edição geral, da fotografia, multimídia, eventos, produção etc.
5 Também amanhã o pessoal da tevê que está produzindo o vídeo sobre o Enfoque irá capturar algumas imagens na aula.
Temos bastente trabalho pela frente, portanto.
Abraço a todos.

Tipos da Vila Brás


Quando andamos pelas ruas da Brás, convivemos e vemos pessoas muito peculiares. São tipos interessantes, que de relance parecem personagens de ficção. Não por serem exóticos demais, apesar de alguns serem mesmo, mas pela postura, pela atitude que são característica dos moradores da vila. Lá, o tempo parece passar em um ritmo diferente. A presa, característica da metrópole pulsante, dá lugar a tranquilidade, sobretudo nas expressões dos mais velhos e das crianças.











15 de abr de 2009

Não tá morto quem peleia!

Ta aí, moçada... mais um registro dos alunos de jornalismo que estão na finaleira do curso, produzindo o jornal Enfoque.

No semestre, são três manhãs de sábados necessitam de muita inspiração e vontade pra render matérias legais e material multimídia para o blog. O vídeo mostra os repórteres do Enfoque recebendo as últimas "considerações" do professor antes da segunda saída de campo à Brás!

Em breve, mais vídeos na TV Enfoque!!!



14 de abr de 2009

Dúvidas e anseios

Mesmo depois de finalizada a minha matéria falando sobre as crianças da Brás, o assunto ainda me “incomoda”. Mas não estou falando em incômodo no sentido etimológico da palavra, me referindo a algum tipo de aborrecimento, importunação.

O que eu quero dizer é que esse tema – pelo menos para mim – provoca diversas reflexões, faz pensar. Muito no sentido de tentar projetar – e aí entra o título da minha matéria – qual será o futuro desses pequeninos? O que a vida lhes reserva?


Nesta terça-feira, foi enterrado na capital o corpo do jovem que foi morto a tiros pela mãe, em Porto Alegre. Após ter sido agredida e ameaçada pelo filho (viciado em crack), na tarde do último domingo, a mãe desferiu dois tiros contra o filho, de 24 anos.

Entre meus anseios sobre o futuro da Brás, penso muito sobre as conseqüências que o ‘meio’ pode trazer para a vida das pessoas. Afinal, não podemos ignorar o fato de que o bairro Tristeza (local da tragédia) compartilha algumas semelhanças com a Brás...

12 de abr de 2009

B-boys na Brás

Pessoal,
O vídeo desta semana apresenta uma manifestação da cultura hip hop na Brás.
Os garotos já participaram de vários festivais no estado, e mostram um pouco do break (dança própria da cultura), aqui.

10 de abr de 2009

Planejamento para edição 115

Olá, colegas!

Como já sabem o processo de edição do próximo Enfoque traz algumas novidades... Agora cabe a mim fazer a edição-geral e a minha amiga Sandra Vargas, a sub-edição. Que responsabilidade! Mas já que nos foi atribuída esta função, vamos encará-la como uma grande oportunidade...

Partindo para as coisas práticas, tenho alguns avisos:
  • Elaborei um cronograma para a edição 115 (será enviado por e-mail a toda turma).
  • Na aula de 17/04 será entregue uma ficha para o levantamento de pautas. É uma ficha mesmo... Método nada moderno, mas que nos poupará tempo. Afinal, temos questões pendentes para resolver...
  • A distribuição das matérias por páginas será enviada por e-mail e publicada no blog até o dia 20/04.
  • Criei um e-mail (enfoquevilabras@gmail.com) para o envio das matérias. A medida que os textos chegarem serão editados. O material só será salvo no 'Público' após a edição-geral.
  • Foram estipulados prazos para o envio dos textos e as fotografias serão editadas conforme a data (vejam o cronograma).
  • Textos extras (não previstos inicialmente na distribuição das páginas) podem ser enviados a qualquer momento. Serão editados para possíveis substituições.
  • Materiais produzidos na 1ª edição não precisam ser enviados. Pedirei ao diagramador.
  • Também no cronograma está a estrutura das matérias.

Espero não ter assustado ninguém com tantas informações de uma só vez... De qualquer forma, todo o planejamento será explicado na aula do dia 17/04.

Um ótimo trabalho a todos!

Abraços,

Priscila Milán

9 de abr de 2009

"SUPER"

Para quem não estava no ônibus, na volta da Brás... e não pode presenciar a inédita interpretação do colega Gilberto!

E também atendo a pedidos daqueles que estavam presentes e curtiram muito a cena, ai vai!

O vídeo a seguir foi inspirado no nosso Super Professor Démetrio e na sua Super paixão pelo jornalismo, que nos é transmitida a cada encontro.





“Super” colega... e a saga continua... por Gilberto Dutra.



Brás por cima


A saída de campo do sábado passado foi produtiva. Consegui captar boas imagens e as pautas renderam. Agora é a hora de passar do papel para o PC.

8 de abr de 2009

Iguarias


Nesta segunda visita a vila Brás, o sol pegou hein? Apesar deste pormenor, conseguimos cumprir com o nosso objetivo. A colega Renata e eu até ganhamos algumas iguarias da população.

De uma pauta de serviço ganhamos chocolates e de um vendedor ambulante, recebemos uma lasanha. É, a vila Brás é uma caixinha de surpresas. Nela podemos encontrar dificuldades, mas também força de vontade. É impressionante como ninguém fica parado. Estão sempre exercendo alguma atividade para aumentar a renda. Isso é muito legal.

Outra questão que acho importante ressaltar é a opinião dos moradores em relação à segurança. Muitas das fontes que entrevistamos, levantaram duvidas sobre os moradores que moram perto ao trecho da linha do trem e que serão removidas para a vila. Elas alegam que a realocação trará pessoas estranhas ao local, instaurando a insegurança na comunidade. Acredito que esta questão servirá de sugestão para uma próxima enquete.
Gisiane Andrade

7 de abr de 2009

Oi

Colegas jornalistas, pois é, fiquei encarregada da Opinião, com O maiúsculo. Dá um frio o compromisso certo, mais um entre tantos. Mas é um frio que faz parte e quem não gosta está na profissão errada. A gente sabe...
Buenas, o que eu quero mesmo é dizer, sem churumelas, que pôxa vida! Eu esperava uma Brás sem mais novidade, sem notícia, quase a zero depois de tantas edições. E chego lá, a cada esquina uma história. Pelo menos, para mim aconteceu isso. Quem sabe o que se passa no universo... mas o fato é que eu fui bem realista: cumprir minha pauta e tentar organizar uma opinião razoável, mas surgiram muitas coisas mais. Muitas pessoas especiais. Deve ser aquela história de "de perto ninguém é normal". Eu não sou.
Queria antes de tudo (sem rasgar seda coisa nenhuma) dar parabéns à editora e subditora que se puxaram e nos presentearam com uma super organização. As meninas da Multimídia também mostram porque foram escolhidas. Nossa! E quero dizer que fiquei feliz que muita gente se mostrou disposta a fazer opinião. E se alguém mais tem vontade, mas acha que não sai, tenta que sai. Vai na simplicidade da Brás. Meio Manuel de Barros sem tamanha erudição.
Vi alguns textos no Enfoque que se mesclam com opinião, quase poesia informativa, um exemplo é o do Bruno. no fundo a gente mistura mesmo e o Enfoque é válido para isso, pena não ter espaço suficiente.
Para o pessoal que reuniu as respostas àquela perguntinha safada (com perdão da palavra) "Qual o assunto que você gostaria de ver no Enfoque" que para mim, quase ninguém respondeu e tal. Mas enfim, quem reuniu alguma coisa e até impressões das expressões ao pegar o jornal, podem me passar: anaiaras@gmail.com. Eu respondo e reuniremos "tudo" para a segunda edição.
Um abraço a todos e ótimo feriado.

6 de abr de 2009

Estreia



Pessoal,
Como conversado na última reunião de pauta, formalizamos a existência de uma editoria Multimídia (êêê o/).

Ideias não faltam e a primeira a ser implementada é a Tevê Enfoque, que vocês podem conferir ao lado.

O plano é exibir um vídeo por semana. Os outros serão devidamente arquivados em uma seção do site.

Então, se vocês gravaram vídeos podem entrar em contato conosco (Márcia, Simone, Vanessa) para agendarmos um calendário de exibição.

Peço que hospedem os vídeos no Vimeo, por ser mais funcional do que o YouTube, em termos de qualidade da imagem e inserção em outros sites.

*

A estreia é o vídeo que produzimos em parceria com o Missão Repórter e aborda os bastidores do Enfoque, sua história e depoimentos do professor Demétrio e de alguns alunos.

Alguns depoimentos ficaram de fora porque a gênia aqui apostou no microfone da câmera, que não captou o áudio decentemente. Shame on me.

No mais, espero que gostem. Sugestões são bem vindas.

O retorno

Mesmo que o nosso editor-chefe já tenha postado por aqui a 'fotografia oficial' do último sábado, disponibilizo, também, a imagem que fiz do nosso retorno à Brás.


Nesse retorno ao campo, além de fotos e entrevistas, eu e a colega Daiane Benin também fizemos vídeos, gravamos depoimentos, enfim, capturamos um belo material multimídia.

A cada semana, iremos apresentar por aqui essas produções experimentais - tudo, é claro, em doses homeopáticas... Aguardem!

5 de abr de 2009

...e o jornal chega à comunidade

É isso aí, finalmente experimentamos o que é entregar nossos textos sobre a Vila Brás para a Vila Brás.

O primeiro a receber a nova edição, como não poderia deixar de ser, foi Claudemir Schütze, o presidente da Associação dos Moradores, e grande parceiro do Jornal Enfoque. 






Além disso, cada repórter se encarregou de levar os jornais enquanto saía atrás de novas pautas.

   
E, à primeira vista, o pessoal gostou bastante :)

Hora de voltar

Na foto, momentos antes do retorno da segunda saída a campo, neste sábado, dia 3. O próximo jornal promete.

Enfoque na mídia

A matéria aí de cima voi veiculada no Portal 3. Abraço a todos e bom domingo.

3 de abr de 2009

Cada um com seus Valores

Em ritmo de "Vamo, vamo!", selecionei um trecho especial do livro Jornalimo Popular.
Aí vão dicas de Márcia Amaral para quem está prestes a produzir novas reportagens neste estilo tão peculiar:

"Na imprensa de referência, um acontecimento terá mais chance de ser notícia se:

- os indivíduos envolvidos forem importantes;
- tiver impacto sobre a nação;
- envolver muitas pessoas;
- gerar importantes desdobramentos;
- for relacionado a políticas públicas;
- puder ser divulgado com exclusividade;

Na imprensa popular, um fato terá mais probabilidade de ser noticiado se:

- possuir capacidade de entretenimento;
- for próximo geográfica ou culturalmente do leitor;
- puder ser simplificado;
- puder ser narrado dramaticamente;
- tiver identificação dos personagens com os leitores (personalização);
- for útil.

Entre esses, destaco o entretenimento, a proximidade e a utilidade como importantes valores-notícia da imprensa popular."

Boa sorte para todos nós. Que este segundo filho dê ainda mais orgulho aos pais.

Em busca da segunda edição...


Amanhã a equipe sai as ruas da Brás em busca da segunda edição. É a hora de mostrar as habilidades jornalistícas de cada um. O dia promete grandes pautas. Faça sua parte. Vamos lá gurizada....

Primeiro enfoque da turma de redação experimental em jornal FINALIZADO!

O primeiro jornal enfoque da turma de redação experimental em jornal acabou de sair do forno, e junto com ele as primeiras experiências registradas da turma. Nesta primeira edição houve muitas novidades, tais como: a inauguração da nova sede da Associação, como matéria de capa, e até um concurso de fotografia que terá continuidade na próxima edição do Enfoque.

Agora, o grande desafio é organizar as pautas para a próxima edição, considerando que amanhã (04/04) ocorre a segunda visita a Brás. Com certeza ainda temos muito mais a explorar, porém desta vez o processo será diferente e as funções foram divididas entre os alunos para tornar o conteúdo ainda melhor, gerando muitas novidades para a WEB e para o jornal!

É ISSO Aí... BOA NOITE GALERA!

Bom descanso a todos!

AMANHÃ TEMOS MUITO TRABALHO PELA FRENTE!

Fernanda Mineiro e Simone Bertuzzi

2 de abr de 2009

Vila Brás ai vamos nós - Parte II

Nossa segunda visita a Brás será com outro olhar, mais atento aos detalhes e por que não dizer mais experientes. Mais experientes por que não vamos para conhecer, como na primeira vez, e sim iremos direto a notícia.

O que espero neste retorno é que agora que já conheço e tenho mais informações sobre o local, possa voltar com muitas histórias bacanas pra contar e compartilhar com a comunidade através do nosso jornal.

É isso ai colegas, boa sorte e bom trabalho para todos nós.

Expectativas

No próximo sábado iremos novamente para a Vila Brás, cheios de expectativas sobre o que poderemos adquirir lá. Também veremos qual será a reação do pessoal do bairro ao receber a nova edição daquele que, eles próprios consideram, é seu principal jornal.

Pude observar que a única “reclamação” dos moradores, se é que assim podemos chamar, é a pouca quantidade de Enfoques durante os semestres. Ou seja, apesar de ser um jornal produzido em ambiente acadêmico, é um veículo de grande representatividade para aquela gente, o que nos dá uma grande responsabilidade ao produzi-lo.

Enfim, vamos ver como ficou a atual edição e fazer de tudo para que as próximas sejam cada vez melhores!

Vídeo registrará imagens do Enfoque

Caros, caras: a partir desta semana começaremos a mover nossos passos também no sentido de produzir um vídeo especificamente sobre o Enfoque Vila Brás. Quem cuidará da produção, filmagem e edição do material é a equipe da professora Luiza Caravetta. A idéia é a seguinte: gravarmos o processo de construção do jornal Enfoque Vila Brás - reunião de pauta, reportagem, produção e, finalmente, edição e montagem -, de forma que todo ele esteja retratado em imagens. Incluiremos aí depoimentos do pessoal da Brás, de ex-alunos, professores etc. O mesmo em relação aos diálogos paralelos que temos estabelecido, caso do blog e de ações como o concurso de fotografia, para ficarmos em dois exemplos. Uma vez concluído, o que deve ocorrer lá pelo final do semestre, o material será utilizado, entre outros, em sala de aula, por ocasião da formação de novas turmas; nas ações comunitárias junto à Brás; nos sites, oficiais ou não, etc. De minha parte, penso que é uma notícia bem bacana e que empresta ainda mais amplitude ao nosso fazer jornalístico em termos de Enfoque Vila Brás. Que lhes parece?

O olhar insubordinado

Pessoal, quem ainda não o fez, sugiro a leitura do livro "A vida que ninguém vê" (Arquipélado Editorial, 2006), de Eliane Brum, ex-Zero Hora, atual Época. Textos a respeito de gente absolutamente comum, como as que encontramos na Brás por ocasião de nossas saídas a campo, cujas vidas usualmente não seriam notícia de jornal, salvo em ocasião de tragédias ou violência. Mas que se transformam em matéria jornalística de qualidade quando o olhar do repórter se despe de preconceitos e resolve olhá-las com a devida atenção e respeito, o que exige domínio técnico/estilístico para muito além do lead, além da compreensão do local onde se está escrevendo.
Reproduzo dois trechos, por relevantes, do texto escrito pela autora ao final do livro, intitulado "Sobre a melhor profissão do mundo":

"Sempre gostei das histórias pequenas. Das que se repetem, das que pertencem à gente comum. Das desimportantes. O oposto, portanto, do jornalismo clássico. Usando o clichê da reportagem, eu sempre me interessei mais pelo cachorro que morde o homem do que pelo homem que morde o cachorro - embora ache que esta seria uma história e tanto. O que este olhar desvela é que o ordinário da vida é estraordinário. E o que a rotina faz com a gente é encobrir esta verdade, fazendo com que o milagre do que cada vida é se torne banal." (pág. 191)

"Olhar dá medo porque é risco. Se estivermos realmente decididos a enxergar não sabemos o que vamos ver. Quando saio da redação, tenho uma idéia de para onde devo olhar e o que pretendo buscar, mas é uma idéia aberta, suficiente apenas para partir. Tenho pena dos repórteres das teses prontas, que saem não com blocos, mas com planilhas para preencher aspas predeterminadas. Donos apenas da ilusão de que a vida pode ser domesticada, classificada e encaixotada em parágrafos seguros. Tudo o que somos de melhor é resultado do espanto. Como prescindir da possibilidade de se espantar? O melhor de ir para a rua espiar o mundo é que não sabemos o que vamos encontrar. Essa é a graça maior de ser repórter. (Essa é a graça de ser gente.) (Pág. 193)

O prefácio de "A vida que ninguém vê" é de Marcelo Rech. Ricardo Kotscho assina o posfácio.

Abraço a todos.

Por que não jornalismo popular?

Em relação às impressões veiculadas neste espaço a respeito da disciplina, e, nela, da realização do Enfoque Vila Brás, gostaria de lembrar aos alunos que têm se mostrado contrários à proposta que realizar um jornal de perfil popular, é, antes, exercitar uma competência específica do jornalismo que exercitar algo “maior” ou “menor” em termos de profissão. Ou seja, que este é um formato de jornalismo assentado no binômio identidade/serviço, e que, como tal, deve ser estudado, exercitado e compreendido em sua especificidade desde o âmbito universitário, a exemplo do que ocorre com demais formatos ao longo do curso. Isso para que também o jornalismo popular possa ser exercido com competência por profissionais habilitados, a exemplo do que ocorre com as demais nuanças da profissão, e não fique à mercê de aventureiros. Neste sentido, e considerando que este espaço existe mais para dialogarmos a respeito das especificidades do Enfoque do que sobre a legitimidade da disciplina, gostaria que, doravante, as colaborações deste blog fossem dirigidas antes à compreensão do que é jornalismo popular do que à sua negação.

"Jornalismo Popular" ou medo de tentar?

Após participar do trabalho de produção do Enfoque e ler alguns textos que serão publicados e edições anteriores, me sinto na obrigação de fazer alguns questionamento em cima do debate existente no Blog sobre o “jornalismo popular”, a partir do post do nosso colega Eduardo Trindade.

Por quais motivos estamos criando textos nesse formato? Utilizando uma linguagem mais simples e coloquial.

O jornal Enfoque Vila Brás não é comercial, então não existem razões mercadológicas. E se existisse, então estamos escrevendo para uma parte da população? Estamos escrevendo focalizando alguma classe social específica?

Estamos trabalhando na produção de um jornal considerado de estilo “popular” com a intenção de atingir leitores de baixa renda? Isso, acreditando que um jornal popular é destinado aos leitores de pouco poder aquisitivo ou ensino incompleto.

Qual os limites territoriais de circulação do jornal? Se os locais de circulação do jornal é apenas a Vila Brás e arredores, então, estaremos nós classificando esse local como de moradores de baixa renda e/ou ensino desqualificado?

Quantos rótulos e classificações estamos dando aos moradores da Vila Brás?

Será que estamos sendo “populistas” ou “discriminatórios” (com preconceitos) ao escrever os textos?

Porque não tentar escrever algo mais elaborado?

Será que os mesmo leitores do Enfoque Vila Brás não tem condições de ler algo mais elaborado?

O que temos a perder?

Não tenho nada contra um jornal popular. Cada estilo jornalístico tem seu público.

Mas será que NÓS, como alunos e produtores, em um momento que temos o direito de errar e re-começar, estamos no caminho certo na escolha do tipo de jornal que estamos produzindo?

Não pretendo fazer uma revolução no Enfoque Vila Brás, apenas trouxe questionamentos que ainda não encontrei as respostas.

1 de abr de 2009

O Enfoque está quase pronto, moçada

Moçada, o primeiro Enfoque deste semestre está revisado e deve ficar pronto na sexta-feira. Neste dia, a dinâmica da aula será a seguinte: no primeiro período faremos a análise coletiva deste primeiro movimento do semestre. Também neste momento serão delegadas as primeiras funções (editor, subeditor, produção etc.) para além da reportagem e, após, realizada a reunião de pauta. No segundo momento da aula, depois do intervalo, farei a análise individual do trabalho de cada um de vocês. No sábado, conforme nosso cronograma, iremos à Brás para a segunda edição do semestre. A partir das 9 horas.

O problema não é o MERCADO

A crítica por mim levantada ao Jornalismo Popular não foi postada no intuito de afirmar que um ou outro tipo de Jornalismo seja mais fácil de fazer, nem que um seja mais mercadológico que o outro. É óbvio que escrever para atrair a atenção dos menos letrados é difícil, assim como é claro que os responsáveis por jornais tradicionais também pensam em vender acima de tudo.

Ao ler o post "Polêmica X Todos são feitos para o Mercado" fiquei com a impressão de não ter sido claro no meu texto e talvez gerado confusões. O que argumentei acerca deste formato jornalístico tem muito mais a ver com o que outra colega traz no post "Será que é Jornalismo Popular?".

A questão é que para escrever algo do tipo, na minha forma de ver, não seria necessário um curso de Jornalismo, pelo menos não como o que cursamos. Os textos populares trabalham (por necessidade) a linguagem de uma forma muito mais básica para que sejam acessíveis a seu público leitor. Assim, mesmo quem não domina amplamente o vocabulário da Língua de Camões pode se atrever a escrever algumas linhas neste formato de "conversa com o povão". Talvez um curso técnico profissionalizante fosse capaz de formar repórteres para tal função, não um curso superior de, no mínimo, 4 anos. Buenas, reitero que essa é apenas a minha opinião. Nada mais, nada menos.

Enfim, na semana em que se discute a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para atuar na área, acho bastante pertinente abrirmos os olhos para o fato de que este formato popular, aliado às facilidades de publicação online podem estar entre os responsáveis por levar alguns leigos, equivocadamente, a acreditar que para ser jornalista não é necessário o diploma.

Hoje é dia de decisão

Deve ser votada hoje a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a obrigatoriedade do diploma. No ano passado, juntamente com outros colegas, professores e jornalistas, participei de uma passeata semelhante à que aconteceu ontem em Porto Alegre.
Felizmente, a manifestação de ontem, organizada mais uma vez pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS (foto do Portal 3) parece ter reunido mais participantes do que a do ano anterior.

E não é pra menos. A decisão de hoje pode mudar muitas questões referentes à pratica do jornalismo, às condições de trabalho enfim, à condição de jornalista. Aguardamos, ansiosos, a decisão do STF.

Quase na mão...

Em pouquíssimos dias teremos em mãos a edição 114 do Enfoque Vila Brás. Finalmente, o esforço de cada um será recompensado. Poderemos dizer com toda a certeza que "o trabalho valeu a pena".

Ontem à tarde, Genésio Barão, Sandra Vargas e eu, Priscila Milán, revisamos o jornal, com exceção da capa. Para aumentar o suspense, ainda não estava pronta!

Outros colegas vieram à noite para contribuir com o trabalho. Fizemos a nossa parte. Agora é esperar pelo resultado!