29 de jun de 2009

Enfoque 116 já está disponível em PDF


Moçada, a versão em PDF do Enfoque já está disponível no site do Portal 3. Grande abraço a todos.

28 de jun de 2009

A bicicleta elétrica do seu Nelson

Estava eu na Av. Leopoldo Wasun quando avisto um senhor em cima de um veículo um tanto inusitado. Quando me aproximo vejo se tratar de uma bicicleta diferente, cheia de acessórios e equipamentos incomuns para esse tipo de transporte.


O aposentado Nelson Wilborn, 59 anos, morador da rua das Begonias é dono de uma Eco Bike. A bicicleta é movida a eletricidade e pode atingir 25 Km por hora. Faz 40 Km com a carga da bateria e o carregamento é feito em qualquer tomada comum.


Seu Nelson comprou o veículo por não poder pedalar, pois tem complicações cardíacas e recentemente passou por uma angioplastia. Ele está com a Eco Bike a cerca de três meses e vai com ela para todo canto. “Já fui até o Trensurb, só tem que andar na beira porque os carros não respeitam”, revela. 


Mas nem tudo são flores para seu Nelson e sua bicicleta elétrica. Ele já teve que levá-la duas vezes na loja por apresentar defeitos. Na última ela ficou na manutenção por 18 dias. “Na próxima vou botar no Procom”, conta indignado. 


Alternativa barata e saudável de transporte, a bicicleta elétrica caiu no gosto dos moradores. Já são 4 Eco Bikes na Vila. Quando pergunto a seu Nelson se a conta de luz, subiu muito. Ele responde faceiro: “Eu não notei nenhuma diferença”.


Silva Cabeleireiro oferece cortes exclusivamente masculinos


A maioria dos rapazes quando têm que cortar o cabelo vai a um desses salões unisex. E aí começam os problemas. O sujeito vai com o único intuito de aparar o cabelo e acaba tendo que ouvir um monte de histórias que não lhe interessam. Espera numa fila imensa de mulheres aflitas com o visual. E, para finalizar custa os olhos da cara. 


Há dois meses, os homens da Brás têm uma nova opção de corte de cabelos. Trata-se do Silva Cabeleireiro, o Salão do seu Valdecir José da Silva, 34 anos, oito deles dedicados à profissão. Na verdade, ele é o que antigamente se conhecia como  barbeiro, pois só atende o sexo masculino e também faz barba.


Ele diz que o atendimento em seu estabelecimento é diferenciado, trabalha de segunda a sábado o dia todo e domingos pela manhã. Há ainda um serviço de corte a domicílio para aqueles que não têm como ir ao salão. O preço também é um dos atrativos. O corte com tesoura custa R$ 5,00 e à máquina R$ 4,00. 


Ele conta que o pessoal têm gostado dos seus serviços. Atende em média umas 15 pessoas por dia. O corte mais pedido, segundo ele, é o que o pessoal chama de social: cortado com tesoura na parte de cima e à máquina dos lados.


Mas Silva diz que faz todos os tipos de cortes. “Aparece muito também os cortes moicano, cogumelo, cadete, surfista, punk, topete e alguns cortes listrados mas o mais pedido mesmo é o corte simples”, revela Valdecir.


De domingo a sexta-feira, depois do trabalho, Seu Valdecir atravessa a rua e vai para o culto, pois é evangélico e sua igreja fica bem em frente ao salão. Ele diz que a religião o ajuda a entender os problemas das pessoas, que muitas vezes acabam desabafando quando vêm cortar o cabelo.


Nesse ponto temos que admitir que o cabeleireiro masculino tem que dar uma de psicólogo da mesma forma que o feminino. O que muda talvez seja o conteúdo da conversa e o conselho do barbeiro. 

26 de jun de 2009

É hoje!


O semestre está acabando e hoje teremos o lançamento da edição 116!
O trabalho foi imenso e tudo valeu! Valeu a chuva, o frio, o calor, a correria, os infinitos e-mails, as cobranças, os prazos, os problemas de última hora, tudo.
Agradeço a cada colega e a cada morador da Brás que tenha sido fonte. Um MUITO OBRIGADA especial para o Demétrio, por motivos óbvios. O nosso professor pode ser super rígido, super exigente... mas ele é super! E aposto que todos aprendemos muito com ele!

As edições 114, 115 e 116 permanecerão guardadas pra sempre! Principalmente na memória!

P.s.: Hoje à noite tem confraternização! Sexta que vem tem churrasco! Não dá pra perder!

Uma boa experiência

A disciplina de Redação Experimental em Jornal me trouxe uma importante experiência. A produção das três edições do Enfoque foi benéfica principalmente por causa da prática do jornalismo popular. Saio desta disciplina com outra visão sobre jornalismo popular e com um o sentimento de dever cumprido.

25 de jun de 2009

CONVITE - Encerramento do Semestre


Amanhã, dia 26 de junho, teremos em mãos a terceira e última edição do jornal Enfoque Vila Brás do semestre 2009/1. Estamos felizes e orgulhosos com o trabalho desenvolvido nos últimos meses. Além de colocar em prática o que aprendemos no decorrer do curso, as visitas a Vila Brás nos proporcionaram crescimento profissional, pessoal e uma interessante troca de vivências e experiências com os moradores.

Por isso, queremos lhe convidar para compartilhar este momento. Os alunos da disciplina de Redação Experimental em Jornal estarão reunidos nesta sexta-feira, na Agexcom, com o professor Demétrio Soster e representantes da Brás, para uma breve avaliação do semestre e do trabalho desenvolvido.

Na ocasião, também será exibido o documentário sobre o processo de produção do jornal Enfoque, realizado pelos alunos da professora Luiza Carravetta. Logo depois, todos os convidados participarão de um coffee break.


O que: Encontro para o lançamento da última edição do Enfoque 2009/1
Data: 26/06/2009
Horário: 19h30min
Local: Agexcom


Programação:
- Avaliação da publicação
- Exibição do vídeo produzido pelos alunos de Luiza Carravetta
- Coffee break

Contamos com a tua presença!

23 de jun de 2009

Meninas da Vila...

As meninas foram fotografadas no mais novo condomínio que está se formando nas imediações da Brás. São crianças das famílias que invadiram as terras do ex-prefeito de Novo Hamburgo, Airton dos Santos. Tomara que os sonhos dessas meninas se realizem. Sonhos simples, de ter uma casinha agradável, com um quarto de menina e um pátio para brincar, comida na mesa e televisão, poder estudar sem ter que trabalhar.

Crianças da Vila continua...

Peço licença ao amigo Gilberto para postar esta foto que eu fiz mas que sei que ele também fez e sai na terceira edição do nosso Enfoque. Obviamente, não é a mesma foto, mas a cena sim. Estávamos juntos quando avistamos esta menina ajudando seu pai. o resto da história fica com o grande Gilberto super fotógrafo. No entanto, para continuar a série "crianças da Vila", muito bem colocada pela Simone, pois aquelas crianças são especiais, com certeza, não podia deixar esta pequena de fora, ela é maravilhosa com a sua inocência e inigualável, em minha opinião, na sua expressão.

22 de jun de 2009

Reta final

Bom dia, colegas.
Estamos na reta final da última edição do Enfoque Vila Brás deste semestre. É hora de darmos todo o gás e envidarmos nossos enforços para que esta edição saia a contento e melhor que as outras, principalmente porque não teremos um "quarto jornal" para melhorarmos.
Hoje pela manhã o Marcelo, da Agexcom, me ligou pedindo algumas informações e dizendo que a matéria das linhas de ônibus produzida por mim, Genésio e Mariana, vai sair com foto na capa.
Portanto, pessoal: À la Chasse!
Fraterno abraço
Kaiser

19 de jun de 2009

Jornalismo sem diploma?

A decisão do STF na quarta feira que estabeleceu a não obrigatoriedade do diploma de jornalista para exercer a profissão revolta os estudantes e dá início a uma série de protestos. A pressão dos grandes grupos, que levou a este desfecho, não é nova. Há muito tempo, grandes redes vem utilizando deste expediente para colocar "apadrinhados" como apresentadores.

O problema é que agora fica liberada a prática antes utilizada com restrições e pagamentos de multas em alguns casos. O exemplo mais clássico era Régis Roesing que na época da RBS não tinha diploma e, mesmo assim, a empresa pagava as multas por isso. Se com a obrigatoriedade as empresas já driblavam a lei, agora que a lei permite, acaba a proteção de mercado.

Uma pena, principalmente para quem investiu em um curso superior e agora vê que, apesar de tudo que aprendeu, na prática poderá concorrer com qualquer um na disputa por vagas no mercado de trabalho. Enfim, ainda há muito pano pra manga, mas a decisão quase unânime é, por enquanto, o que temos. É preciso mobilização

Boa sorte a todos!

Expectativas para próxima edição estão em alta

Os alunos estão integrados, pegando junto para que a terceira edição do Enfoque deste semestre saia melhor que a encomenda. Me espanto, pois fazia tempos que não participava de uma turma tão bem engajada como a nossa.

Nós, repórteres do jornal estamos na expectativa para ver o resultado dos trabalhos realizados na manhã do último dia 30 de maio, na Vila Brás e, também, para ver o resultado do que nos foi passado pelo professor ao longo do semestre, em termos de aprendizagem de produção do jornal.

Na próxima semana já estaremos com mais um Enfoque Vila Brás em mãos, talvez o que tenha exigido mais esforço e dedicação dos colegas. Antes disso, nos basta esperar!!

Falta água na Rua 23

Com o andamento dos trabalhos de edição do Enfoque, adianto um dos assuntos que estarão no próximo jornal. Eu e Priscila estivemos conversando com moradores da Rua 23, que não têm serviço de água e esgoto.



Na foto, anoto as queixas de Daniel Almeida sobre a falta de água. Ele também reclama de ter que tomar banho frio no inverno. Durante a realização da matéria tentamos buscar uma resposta sobre o que nos foi relatado. Confiram o resultado na próxima edição.

Confissão

Para que não fique na "gaveta"... Aí vai minha crônica...

Até pouco tempo, eu não conhecia a Brás. Tinha algumas referências: bairro de São Leopoldo com milhares de habitantes, formado a partir de invasões. Uma vila que não pára de crescer. A palavra "vila" soava mais alto. As associações que fazia ao termo não eram as melhores. Imaginava um local problemático, desorganizado. Preconceito? Sim. Admito.

Muitas pessoas enchem a boca para dizer que não são preconceituosas, mas é evidente que pré-julgamos constantemente, mesmo sem querer. Eu, que me considerava integrante dos "sem-preconceito", percebi que tinha uma percepção errada do bairro logo na primeira visita. O lugar que conheci é bem diferente daquele imaginado. Agora tenho a oportunidade de reconhecer o erro: me enganei quanto à Brás. Da mesma forma que alguns moradores se equivocaram a respeito dos alunos-repórteres do jornal Enfoque.

Recordo da primeira vez que estive na vila. Entrevistava um morador junto com duas colegas quando um rapaz de bicicleta gritou de longe: "Vieram ver a desgraça dos pobres?". Respondemos que não, estávamos ali a trabalho. Mas ele não deu importância à nossa explicação. Já tinha opinião formada: achava que os estudantes eram filhinhos de papai, desocupados, que estavam conhecendo um mundo do qual não pertenciam. Como se o mundo não fosse um só, apesar das diferenças!

Infelizmente outras pessoas pensam como este rapaz. Já ouvi esta confissão. Há também quem repita o meu erro e pior, se negue a admiti-lo. Afinal, para alguns reconhecer o engano é uma tarefa dificílima. Mais fácil é ficar no lugar-comum e enxergar apenas os problemas da comunidade. Meu consolo é que essas percepções parecem estar mudando. Ao menos foi a impressão que tive na última visita.

Para muitos, não só pra mim, a palavra "vila" perdeu o sentido pejorativo. Assim como o trabalho dos estudantes no jornal adquiriu confiança e respeito de grande parte dos moradores. Aos poucos todos estão se rendendo ao fato óbvio de que é preciso conhecer antes de julgar! E isto é admirável!

Para dividir com os amigos...

Na tarde desta sexta-feira, 19 de junho, foi divulgado o resultado do 1º Prêmio MUHM de Fotografia. O concurso teve como tema "As Faces da Saúde", e premiou as melhores imagens nas categorias "Amador" e "Profissional".

Eis que esse amigo que vos escreve levou o 2º Lugar (com essa fotografia aí) - obviamente, na categoria "Amador" - e, com isso, participarei da exposição fotográfica promovida pela instituição.


De quebra, ainda levarei um prêmio em dinheiro! Ou seja, o churrasco de fechamento do semestre será por minha conta*!!!! Brincadeira... brincadeira... só queria dividir com os amigos esse momento importante para mim.

Um forte abraço a todos que têm me incentivado nessa nem sempre "gloriosa" e "premiada" jornada no mundo da fotografia. Certamente o incentivo dos amigos e professores faz toda diferença nesse momento.

*Para aqueles que ainda não entenderam a brincadeira, fiquem sabendo que a premiação que eu ganhei já tem destino certo: vou dar um "up grade" no meu equipamento fotográfico.

18 de jun de 2009

Não tá morto quem luta, quem peleia

Caros, caras, por meio deste post torno pública a promessa que fiz ontem na abertura de uma de minhas aulas assim que soube da, digamos assim, decisão do STF: se, ao longo destas quase três décadas de profissão, nunca quis ser e nunca fui outra coisa senão jornalista, basicamente por amar sobremaneira esta profissão, daqui para a frente buscarei sê-lo com ainda mais propriedade.

Isso para que fique cada vez mais claro, aos que estão chegando e que por mim passarem, que encontram-se diante de uma profissão com pelo menos 300 anos de tradição, que tem corpo docente qualificado, pesquisa, publicação nacional e internacional relevantes, representatividade científica e institucional (refiro-me à SBPJor, ao FNPJ, Fenaj, sindicatos etc.), e que é, portanto, digna de respeito.

Disse a meus alunos, ainda, - e o faço novamente agora -, que mais do que se perguntar se precisam ou não de formação universitária para exercer o jornalismo daqui para a frente, eles devem exigir que seus cursos de jornalismo, à revelia da instituição ou instância, lhes ofereçam cada vez mais qualidade; que seus professores estejam cada vez mais habilitados a exercer a docência em jornalismo, para que, por meio deste conhecimento, eles, os aprendizes, tenham cada vez mais condições de se tornarem jornalistas, distinguindo-se, por seu conhecimento e vontade, dos que não estão habilitados ao exercício da profissão, por não conhecê-la, e reiterando, assim, a diferença que o STF não soube compreender.

Como diz o verso daquela música cujo autor não lembro, “não tá morto quem luta; quem peleia”. Então é preciso lutar ainda mais, brigar ainda mais. É nisso que acredito. É isso que irei fazer. O conhecimento, uma vez mais, será a minha arma.

Um grande abraço a todos.

16 de jun de 2009

Making Of

A Vila sob outro olhar, em movimento. Na última saída de campo tivemos a companhia da professora Luíza Carraveta e nossos colegas para capturar a Brás com outros ângulos. Claro queos repórteres do Enfoque registraram esse momento. Dá uma olhada!

Olha eu aqui!!

Esses dois aí queriam aparecer na foto. Ou melhor, um deu a desculpa que o outro estava louco pra sair no Jornal, mas na verdade, quem queria mesmo era o alemãozão aí do lado.

Então tá, vontade feita!

Crianças da Vila...

No final de uma manhã nublosa eu disse “Nossa, hoje só tirei fotos de crianças”... e então, a amiga que estava comigo respondeu que tinha percebido meu instinto maternal “aflorado”. Eu nem fiquei com medo e nem nada de qualquer coisa estar acontecendo no meu organismo e tive a certeza, no mesmo momento, que as crianças da Vila possuem algo de muito especial... Aí estava a explicação por meu encanto nessas figurinhas.Seja pela alegria simples ou pela tristeza, todos aqueles olhares curiosos osbre os invasores da Brás (nós... os estudantes), brilhavam a procura de uma novidade, de uma boa notícia. E isso foi correspondido, de ceta forma, quando os pequenos leitores avistavam a contracapa da segunda edição, com um página inteira para brincar e pintar.
Ah, se essas crianças comprassem tudo com seus olhinhos, muitas coisas elas teriam. E acredito que muitos sonhos elas possuem por trás daquelas ruas e da Avenida Principal.Eu proponho aqui um desafio para a próxima turma, que pode explorar muito bem pequenos perfis da Vila e por lá ter muitas surpresas. As crianças da Brás mostram muitas coisas, é só olhar.

15 de jun de 2009

Nós conseguimos!

A evolução da produção em relação ao Jornal Enfoque demorou duas edições para transparecer na turma de 2009/01. Muitos de nós, alunos, já podemos dizer que a experiencia prática de sair a campo e produzir material na redação não é novidade, mas também acredito que nem todo mundo trabalhou tão próximo de sua fonte quanto na Vila Brás.

Nos primeiros jornais do semestre, o objetivo não estava tão focado na organização e sim no envolvimento de nós mesmos com o pessoal da Brás. Mas, na última edição, fomos preparados, esquematizados pela própria turma, que conseguiu evoluir profissionalmente na edição.

Corajosos os que adentraram pelas ruas mais escondidas da Brás para quebrar a rotina da Avenida Principal nas matérias, e coutelosos aqueles que procuraram novidades em um perímetro ue muito já foi explorado. Particularmente, acho que o Jornal Enfoque Vila Brás é uma experiência de bom peso para a formação, mas também, é limitada a imaginação e editoria de muitos.

Fica para cada repórter se a todos os sábados de manhã e sexta-feiras a noites tiveram pontos positivos e o que essa disciplina trouxe para o futuro. Alguns podem dizer que é esse o caminho e outros podem simplesmente chegar a conclusão que essa não é a sua praia. Tanto faz. No final, mesmo sabendo as diferenças de todos, as revoltas por certos comentários e as manhãs não dormidas, todos os colegas fizeram e estão fazendo a sua parte. Agora é só esperar a última edição sair do forno e todo mundo dizer “Ufa, conseguimos”!

Moda Gospel?!


Alguém sabe o que quer dizer Moda Gospel? Pois é, eu imaginava mas não sabia. Quem me explicou foi a própria Sabrina, dona da Loja que infelizmente não pode ser fotografada.


Mas quem quiser saber terá que conferir na edição impressa.

12 de jun de 2009

E o problema ainda vai continuar...

Foto: Kaiser Konrad

Em nossa primeira edição desse semestre, eu, Mariana e Kaiser abordamos o problema dos cães abandonados na Brás. Durante a produção da matéria, tentamos por diversas vezes falar com a ALPA, entidade protetora responsável pelo recolhimento dos animais de rua em São Leopoldo, mas a diretora da ONG não demonstrou interesse em falar com a reportagem, se esquivando sempre que possível de nossos e-mails e ligações.

A ALPA recebe mensalmente R$ 6 mil reais da Prefeitura da cidade para as despesas dos animais que deveria recolher, já que o município não conta com um canil próprio.
Durante o mês de maio, como pudemos acompanhar em diversos veículos, a Alpa e sua diretoria foram acusadas de desvio do dinheiro repassado pela Prefeitura e também das doações vindas da comunidade.

Se uma entidade que deveria lutar pelo bem estar dos animais abandonados, evitando assim problemas de saúde pública como a proliferação de doenças transmitidas por eles, rouba o dinheiro e mesmo a ração, deixando mais de 300 cães sem o mínimo de cuidado, abandonados em um canil sujo, sem comida nem água, a própria sorte, e a Prefeitura não faz nada para que isso seja evitado, quem dirá os cães da Brás? Que segundo os moradores do local, não são recolhidos já que não estão doentes...

Graças a dezenas de pessoas solidárias, hoje os cães abandonados no canil da Alpa estão recebendo o tratamento adequado, com ajuda de voluntários. Já a Prefeitura e os responsáveis pela entidade, parecem fechar os olhos para algo que todos vem diariamente nas ruas de São Leopoldo, o abandono e o descaso.

O amor está no ar

Como hoje é o Dia dos Namorados e o amor está no ar resolvi postar a foto de um casal muito bacana, que eu e a Ana Paula entrevistamos na nossa última visita a Brás.
Maria Jorgina Santos da Cruz conheceu João Andrade da Cruz quando era pequena, seus pais eram amigos de longa data. Eles começaram a namorar quando ela tinha 14 anos e ele 17. São casados há 35 anos e têm oito filhos.
Perguntei a Maria Jorgina o que é preciso para manter um casamento durante 35 anos e ela respondeu sabiamente. "É preciso ser muito compreensivo, tentar sempre entender o outro e ter também muito respeito e amizade".



O legal também desse casal é que eles começaram uma história de amor entre suas famílias. Três irmãos de Maria são casados com os três irmãos de João. Ficou curioso?
Então não deixe de ler a matéria completa entre esses casais na próxima edição do Enfoque.

Inocência

Em nossa primeira saída, o fotógrafo José Luís de Paula tratou de registrar a espontaneidade de duas meninas. Enquanto a mãe de uma delas fugia das fotos, as duas garotas brincavam na frente das lentes. Impossível a alegria estampada em seus rostos não nos contagiar no momento. Assim são as crianças, verdadeiras. Enquanto que algumas tímidas se escondiam, as personagens da fotografia resolveram se divertir como em uma brincadeira.

Dica de filme

Conhecendo a história do empresário Miguel Jorge Filho, que há poucos meses abriu uma floricultura na Vila Brás, lembrei de um filme muito bom que assisti recentemente. Não que uma história seja exatamente à outra. Muito pelo contrário. Contudo, existem semelhanças que permitem fazer, sim, uma breve analogia.

Trata-se do longa-metragem uruguaio “El baño del papa” (2007), que narra o drama de Beto (César Troncoso) e sua família. Em 1988, o Papa João Paulo II visitou a humilde cidade de Melo, no Uruguai. Diferente da maioria dos moradores locais, Beto tem a idéia de construir um banheiro coletivo para o uso dos visitantes.

Foto: Kaiser Konrad

Referi que a história do seu Miguel me lembrou o filme porque, assim como o personagem principal da película, Miguel também “nadou contra a maré” e, ao invés de abrir um boteco, igreja ou bazar (estabelecimentos comerciais que mais se desenvolvem na Brás), decidiu investir num outro ramo de atividade.

Mas as semelhanças não param por aí. Por isso, não deixe de conferir a reportagem que eu e a colega Daiane Benin fizemos – e que estará disponível na próxima edição do Enfoque. Depois de ler a reportagem, fica o convite para você também assistir o filme em questão. Vale a pena conferir ambas as sugestões!

Confeitaria Merengão


Essas são as delícias comercializadas pela Confeitaria Merengão.
Na próxima edição do Enfoque será contada brevemente a história de Fabiano, que é dono do estabelecimento.
O morador da Brás abriu a padaria e não imaginou que faria tanto sucesso.
Hoje ele já recuperou o dinheiro que investiu, comprou um carro e segue trabalhando.

Homens de preto...



Quem é quem nesta foto? A dupla andou e conversou bastante durante a ida na Vila Brás, no dia 30 de maio, para a produção do terceiro Enfoque.

11 de jun de 2009

Pode parecer um lugar comum, mas especial para quem vive

Dizem que os americanos imaginam que o Brasil é uma extensa floresta amazônica, cheia de índios e mulheres seminuas, tudo numa perfeita harmonia com animais exóticos e selvagens. Todo esse paraíso tropical ao som de muito samba. E não podemos tirar a razão desse pensamento, já que a imagem que passamos para o mundo é os ícones: Amazônia, Carnaval e Mulheres.
Enquanto isso, qualquer turista com um pouco mais de atenção e vontade, descobrirá a imensa diversidade cultural do nosso país. No mundo moderno da Internet, eles nem precisam sair de suas casas, basta um simples clique com o mouse e irão encontrar informações mais detalhadas, com imagens e vídeos sobre o “Brazil”.
Não podemos julgar um lugar ou criar uma imagem preconceituosa em razão do que encontramos na mídia, não importando se impressa ou na TV. Talvez alguns digam que São Leopoldo é uma cidade violenta, e a Vila Brás um lugar onde armas são encontradas nas escolas e crimes acontecem diariamente. Mas antes de qualquer julgamento, talvez seja necessário pensar o que NÃO encontramos nas noticias do dia-à-dia.
São Leopoldo é uma cidade grande, com mais de 200 mil habitantes, com problemas sociais como qualquer outra cidade, mas também com muitas qualidades que devem ser melhor explorada. A Vila Brás é uma parte dessa comunidade onde, diferente das noticias, também encontramos crianças estudando, diversidade religiosa, comércio e, principalmente, pessoas que querem apenas “fazer acontecer” e trabalhar para dar uma condição de vida mais digna para suas famílias.
Quem é de fora e pretende conhecer melhor a Vila Brás, talvez depois diga que é apenas uma vila igual a diversas outras de outras cidades, mas se tiver vontade (e a sorte) de conhecer os moradores daquele lugar, descobrirá que a Vila Brás não é apenas um “lugar comum”, mas a casa e a vida de muitas pessoas e o “cantinho” mais especial de todas elas.

(Essa crônica foi escrita para edição anterior, como não saiu, estou postando no Blog)

10 de jun de 2009

Registros do nosso trabalho

Como é de praxe, registro os repórteres do Enfoque em ação...

Na foto acima, a Sandra está batendo um papo com a pequena Rita. A menina é neta e "ajudante" do Seu Laurentino Novaes, dono de um armazém na Rua 23.

Também registrei a conversa do editor de fotografia, Delmar Costa, com um colega de profissão. Doralicio Maciel é fotógrafo há 20 anos e abriu recentemente um estúdio na vila.

A lavagem com tele-busca do Silva


A Lavagem Silva não é apenas uma lavagem qualquer na Vila Brás. Para atrair mais clientes, tem até o serviço de tele-busca dentro da vila.

Apesar de ter assumido o ponto há pouco mais de 2 meses, Silva e sua esposa, que o ajuda nas lavagens, apostam no negócio como sustento para a Família.

Mesmo com o serviço de busca e os custos envolvidos com isso, os preços são bastante atraentes.

Moto : R$ 6,00
Carro: R$ 12,00
Kombi ou Van: R$ 15,00

9 de jun de 2009

Espírito Empreendedor



Este é o mais novo empreendedor da Brás. Seu Miguel Jorge Filho, dono da Floricultura "Dê uma flor para quem você gosta", inaugurada em abril, na Vila Brás.

Pelo jeito, o negócio vai bem :)

Matéria completa sobre a floricultura do Seu Miguel na próxima edição do Enfoque. Não percam!

Special thanks ao colega Kaiser por ter feito as fotos!

7 de jun de 2009

Ê timão! Vai um espetinho de ovo aí?


Trabalho em equipe


Tudo novo de novo

Curioso em saber como a Vila Brás está sendo retratada na mídia, realizei uma breve busca no site do jornal VS, do grupo Sinos. A minha expectativa era ver se a recente “visão negativa” publicada pela grande mídia (sobre o revólver que foi encontrado na escola) já tinha dado lugar para notícias mais, digamos, positivas.

Infelizmente, a realidade não mudou muito, não. Tudo bem que a imprensa não está mais repercutindo a infeliz ocorrência na escola; contudo, a última notícia publicada no VS sobre a Brás (dia 19 de maio) fala sobre a prisão de duas moradores de lá, de 19 e 25 anos, responsáveis por um assalto na BR-116.

E a pergunta que fica é: será que um dia essa realidade vai mudar?

5 de jun de 2009

A menina do cachorrinho


Essa bela menina - que não me recordo o nome - foi personagem da mais interessante foto que fiz na Vila Brás. Ela retrata a pureza que toda criança carrega consigo.

Um abraço

Kaiser Konrad

ATENÇÃO NO ENVIO DE FOTOS...

Galera ficou decidido em reunião na aula de hoje que as fotos serão enviadas para a editoria de foto e depois repassadas para a diagramação. Então vamos mandar logo as fotos porque o prazo é até a próxima sexta-feira, dia 12. Peço que enviem no mínimo duas fotos de cada matéria. Identitifique no e-mail o crédito do fotógrafo e a legenda. Quem enviar fora do prazo terá a foto excluída da matéria. Tô no aguardo.


E-MAILs PARA ENVIO DE FOTOS:

delmarcosta@oi.com.br ou delmarcosta@pop.com.br

Filho abandonado...




Na aula da semana passada foi deixado em cima de uma das cadeiras um exemplar do Enfoque Vila Brás. Não sei quem foi e nem me interessa saber só acho que foi um desrespeito com o trabalho da nossa equipe. O jornal impresso é o resultado do trabalho e o orgulho de todo jornalista. Não se abandona o filho assim.

Nova ferramenta no blog





Temos uma nova ferramenta no blog. Trata-se do FEEDJIT, um mapa mundi que aparece de onde o blog foi acessado. O mais legal é que, se clicar nele, podemos aumentar o zoom até descobrir a cidade e até o local com uma boa precisão de onde o internauta estava.

Eu já tive esse recurso no meu antigo blog e foi muito legal. Me surpreendia em descobrir que muitas pessoas pelo mundo todo encontravam o endereço pelas tags. 

O novo widget está do lado direito, bem embaixo. É o último elemento e demora um pouco para baixar. 

4 de jun de 2009

Reclamação reforçada

Num dos posts anteriores, o colega Marcelo Gomes comentou que alguns moradores procuram os repórteres... É, eles nos procuram mesmo, principalmente se quiserem fazer alguma reclamação, ou melhor, estiverem em busca de explicações.

Os que já conhecem o jornal, acompanham o nosso trabalho, têm a expectativa de que a reportagem consiga algumas respostas: Por que isto está assim? O que será feito? Quando o problema será solucionado?

A maioria das minhas pautas para o Enfoque tem seguido a linha de buscar as respostas que os moradores não têm... Uma das reclamações frequentes é a falta de água/esgoto em algumas ruas; problema destacado pelo Schütze na última vez que esteve na Unisinos e por um morador na edição 115.

Partindo disso...

Sandra e eu decidimos fazer uma matéria sobre a questão, seja para o jornal ou para o blog. Fomos até a Rua 23, onde os moradores convivem diariamente com esse problemão... Agora buscaremos as tais respostas no Semae.
Este é Daniel Almeida, 21 anos, que mora na Brás há um ano e meio. Ele relata que o abastecimento "improvisado" implica no fluxo variável de água, o que acaba atrapalhando a rotina diária de sua família.

A família de João Luís Teixeira enfrenta a mesma situação. Eles contam que alguns moradores, assim como a Associação, já tentaram resolver o problema, mas não conseguiram...

Novos editores

Para facilitar e centralizar tudo, estou postando (êêh gerundismo) a lista com as editorias e seus respectivos responsáveis nesta última edição do Enfoque no semestre. Só pra lembrar, muitos ainda não informaram o que foi realizado na Brás no último sábado. Precisamos saber o que temos em mãos para dividir o espaço da melhor forma possível. E não temos muito tempo! Abraços!

Editorias definidas na reunião de pauta em 29 de maio:

Editor: Rodrigo Duarte
Sub-editora: Vanessa Reis
Fotografia: Delmar
Opinião: Pauline
Produção: Gilberto, Genésio, Eduardo
Eventos: Mônica
Multimídia: Kaiser, Marcelo Gomes
Revisão: Márcia, Mariana B., Anaiara
Enfoquinho: Fernanda Mineiro

Edição On Line do Enfoque



De volta à redação, é hora de arregaçar as mangas e fazer essa última edição do semestre. Quero reforçar o que o Kaiser disse em relação às postagens no blog. Tudo aquilo que os editores não publicarem no jornal, poderá vir para a web. Lembrem-se que é a última chance de postar o que foi feito de interessante. 


Muitos clamam por mais espaço para suas matérias no Enfoque, mas aqui não tem restrição de espaço. É uma excelente oportunidade para usar todas as matérias e fazer uma verdadeira edição on line do Enfoque. Temos a nosso favor toda a facilidade das ferramentas multimídias e espaço para tudo. Por isso, eu sugiro que todos façam suas matérias para a edição impressa e depois comecem a postar no blog tudo o que têm: foto, texto, vídeo…


Temos que tentar aumentar o número de leitores do blog, deixá-lo mais atraente, nos concentrarmos mais nas postagens e fazermos textos atraentes, além de divulgarmos o blog para todos os conhecidos de suas listas fazerem visitas. 



Votem na nova enquete


Atenção galera! Uma nova enquete está sendo realizada. O assunto agora é a passagem das linhas do Trensurb pela Brás. Não deixe de dar sua opinião.

1 de jun de 2009

Mensagem da Editoria Multimídia

Prezados Colegas,
Como é de conhecimento de todos, eu e o Marcelo ficamos responsáveis pela parte multimídia.
Peço a colaboração de vocês para mantermos o blog permanentemente atualizado.
Material que não vai para o Enfoque assim como comentários e percepções da disciplina, da saída de campo, fotos ou informações sobre a produção do jornal, por favor, postem aqui.
Mensagens destinadas a mim devem ser enviadas por email (kaiserk@brturbo.com.br), assim como para o Marcelo.
Um bom trabalho a todos!
Abraço
Kaiser Konrad

O Enfoque 115 ficou muito bacana

Como vocês podem ver, a segunda edição do Enfoque Vila Brás deste semestre ficou muito bacana. E repleta de novidades: além de 12 páginas - quatro a mais que o usual -, a edição número 115 conta um uma página somente para as crianças; com mais espaço para opinião, com uma interface digital pra lá de bacana - o Blog do Enfoque Vila Brás -, para ficarmos em algumas novidades.

E com uma nova configuração editorial, abaixo descrita:

Editor: Rodrigo Ribeiro Duarte
Sub-editora: Vanessa Reis
Fotografia: Delmar José Costa
Opinião: Pauline Costa
Produção: Gilberto Dutra da Silva, Genésio Macedo Barã, Luis Eduardo Trindade
Eventos: Mônica Patrícia Ferreira
Multimídia: Kaiser David Konrad, Marcelo Gomes da Silva
Revisão: Márcia Lima, Mariana Bechert, Anaiara Ventura da Silva
Enfoquinho: Fernanda Mineiro

Aos que estiveram à frente do processo do ponto de vista organizacional (editor geral, subeditor, editor de fotografia, produção, eventos, multimídia etc.), meus parabéns pela competência e vontade demonstradas. Aos que estão chegando, o desejo que o Enfoque 116 seja ainda melhor que este. Um grande abraço a todos.